O sonho de toda pessoa, principalmente das mulheres, é ter um corpo bonito, acompanhado de uma #Beleza que possa atrair e colocá-las em um ponto de destaque em comparação a outras pessoas.
Desde os primórdios o homem criou técnicas para se tornar mais bonito, num objetivo de status e poder conquistar o sexo oposto. O uso de joias e acessórios sempre esteve ligado à beleza, mas em um certo momento da história descobriu-se que a feição tanto facial como corporal poderia ser alterada através de técnicas. Essas técnicas, com o passar dos séculos, foram se aperfeiçoando até chegarem aos patamares de hoje, com as plásticas e as dezenas de técnicas de aperfeiçoamento corporal que conhecemos.
Plásticas, botox, lipoaspiração, próteses ... são um mundo de técnicas que garantem que uma pessoa pode entrar na sala de cirurgia de um jeito e sair uma pessoa totalmente nova. Desde a insatisfação com o tamanho dos seios, com a colocação de silicone, passando pela plástica de nariz para corrigir alguma imperfeição a casos que nem imaginamos, como o uso da lipo enxertia, que é uma técnica de rejuvenescimento das mãos. Casos como esse que nos fazem perguntar qual é o limite para a alteração de nosso corpo e qual a necessidade de tudo isso.


Quando é necessário

Há casos em que as cirurgias plásticas vão além da estética e é algo importante para a vida ou saúde da pessoa que vai sofrer o procedimento.

Casos de redução de estômago somados a lipoaspiração se fazem necessários com pessoas que sofrem com o peso. Esse problema vai além da vontade da pessoa ser magra e ter um corpo escultural, mas também é caso de saúde, quando a gordura começa a atrapalhar a vida da pessoa, sem contar a auto estima da pessoa, que é afetada diretamente pelo modo que ela se vê em frente ao espelho.
Outros casos são a colocação de próteses, no caso de pessoas que perderam parte de membros em outras cirurgias ou em acidentes. Por exemplo, além da triste batalha contra um câncer, não há nada pior para uma mulher que teve sua mama retirada devido a doença, se olhar no espelho. Nesse momento a cirurgia plástica reconstrutiva pode devolver o membro faltante e fazer a pessoa ter uma vida normal.


O exagero

Com infinitas possibilidades de cirurgia, uma pessoa que tem dinheiro e não está satisfeita com sua aparência, tem o livre direito de usar as técnicas empregadas pelos cirurgiões plásticos. #Moda #Famosos

Mas quando a mudança se torna exagero e as cirurgias se tornam frequentes, a alegria de ter um corpo novo e bonito pode se tornar uma grande dor de cabeça. Começando por pessoas colocando próteses gigantes, totalmente desproporcionais a seu corpo, e muitas vezes desfigurando-as, deixando a pessoa irreconhecível. O exagero vai além, quando se vê casos de mudança corporal ao extremo, onde mulheres quebram suas pernas e ficam meses imobilizadas para ganhar alguns centímetros de altura.


As plásticas estão aí para serem usadas, como qualquer tecnologia moderna. Mas se deve pensar muito antes de se submeter a tais técnicas e saber diferenciar o que é necessário ou não. Lembre-se que ninguém é perfeito e o que torna as pessoas especiais são suas diferenças e quando se fala em plástica, além do resultado final, se trata de uma cirurgia e quem se submete a tal está correndo riscos como em qualquer outro procedimento cirúrgico.