O blog "Notícias da TV", hospedado pelo portal UOL, publicou a informação de que o SBT - terceira maior emissora de #Televisão do Brasil - censurou e trocou a dublagem da novela mexicana "Sortilégio" para atender aos seus critérios de exibição. A novela original apresenta o relacionamento entre os personagens Ulisses (Julián Gil) e Roberto (Marcelo Córdoba). Mas as cenas da intimidade do casal, que comprovaria a orientação sexual de ambos, foram cortadas pelo canal brasileiro.

Em 21 de novembro, o SBT transformou Roberto em hétero. Na versão mexicana, ele diz a Ulisses, em tom jocoso, que vai ver a sua "mulher". A dublagem trocou "mulher" por "Raquel", nome da falsa namorada, e fez o personagem suspirar, como se estivesse apaixonado por ela. Trocou a ironia original por uma declaração de amor velada.

Exibida de segunda à sexta às 16h15, o SBT disse que as mudanças foram feitas para "adequar a novela à classificação indicativa para o horário de exibição, de acordo com a lei". A classificação da novela no Brasil é de 10 anos. No entanto, o Ministério da Justiça não proíbe a exibição de relacionamentos homossexuais em momento algum do dia. Se um homem e uma mulher podem trocar abraços e beijos, parceiros homossexuais também podem.

No sistema de comentários do site que publicou a nota, várias pessoas distribuíram suas opiniões, muito divergentes por sinal. Foi possível encontrar defesas à atitude do canal, o definindo como um "canal da família". Alguns até disseram que os casos de AIDS aumentaram por culpa do "homossexualismo" (leia-se homossexualidade) e que as crianças não podem ver algo que não é natural.

Vejamos alguns pontos:

1) - Não interessa se o SBT é ou não o "canal da família". Sendo um canal familiar, ele não trocaria os personagens por garanhões que pegam todas as mulheres por aí. Traições não devem ser permitidas seguindo o conselho de família, correto? Mas o enredo da trama se baseia justamente nisso: enganos e traições - como o próprio canal descreve a página oficial da trama.

2) - Antes fosse canal familiar, o SBT foi o canal que exibiu o primeiro beijo entre pessoas do mesmo sexo em uma novela brasileira, antes mesmo da Rede Globo, maior emissora do país.

Publicidade
Publicidade

3) - O aumento dos índices de HIV não foi por causa do homossexualidade. Houve aumento de número. Dados do Departamento de Aids do Governo Federal apontam que "Quanto à forma de transmissão entre os maiores de 13 anos de idade, prevalece a sexual. Nas mulheres, 86,8% dos casos registrados em 2012 decorreram de relações HETEROSSEXUAIS com pessoas infectadas pelo HIV. Entre os homens, 43,5% dos casos se deram por relações HETEROSSEXUAIS, 24,5% por relações homossexuais e 7,7% por bissexuais. O restante ocorreu por transmissão sanguínea e vertical."

4) - Mesmo tendo derrubado a tese de alguns de que a homossexualidade está ligada a AIDS, não dá para entender ainda o que a cena censurada pelo canal tem a ver com sexo, ainda mais sem preservativo. Tem gente que realmente liga o amor entre as pessoas apenas às relações sexuais.

Publicidade

Uma pena.

5) - É importante ter disposição para ler, então pessoas preconceituosas precisam ler mais, aprender mais e se policiar mais antes de utilizar os dedos para escrever o que não sabem nas redes sociais. Só uma dica para passar menos vergonha!

6) - Algumas crianças, senão a maioria delas, falam palavrões e sabem muito mais sobre sexo do que imaginamos. Então não podemos ser hipócritas por colocar a desculpa de um pensamento preconceituoso na conta delas. Quem acha uma relação entre dois homens ofensiva e está reclamando são os adultos, não as crianças.

A atitude de remover uma simples troca de carinho entre dois seres humanos para não desagradar o público brasileiro - enquanto tiros, morte e violência são exibidos sem pudor e sem causar remorso - mostra que até o menos diversificado México, país da emissora Televisa (que gravou a novela), está a nossa frente quando o assunto é aceitar as diferenças. #Entretenimento