O spin-off de "Breaking Bad" estreou na #Televisão norte-americana com um recorde de audiência na última segunda-feira (09/02). O seriado alcançou a marca de ter a estreia mais vista dentro da TV paga americana, com 6,9 milhões de telespectadores. Os números mostram imediatamente o que "Better Call Saul" herdou: uma legião de fãs. E é exatamente para estes que o seriado parece estar sendo feito.

O seriado segue o processo do advogado James Morgan McGill em se transformar no excêntrico Saul Goodman. A marca da primeira cena é reconhecível "naquele" outro seriado e faz os fãs pensarem um pouco, como estão acostumados.

Publicidade
Publicidade

O primeiro ato da história chega para dizer que "Better Call Saul" vai ser imensa de referências, tendo uma ligação descarada com a sua série original. Logo após a abertura, percebe-se a mesma fotografia, o mesmo cenário, as mesmas cores, expressões típicas de "Breaking Bad". Em frente ao episódio, o telespectador se sente vendo a série original, mas com um novo protagonista.

A nova estrela do show, Jimmy McGill, não se parece nada com Saul Goodman. Em uma boa atuação de Bob Odenkirk, o ator transforma o personagem em um rosto dramático, com uma história sofrível. Aos poucos e muito pouco, o lado engraçado do advogado aparece. A história do advogado lembra muito a história inicial de Walter White, com uma pequena diferença que pode ser notada pelo público.

Outros pontos positivos são os personagens criados para este spin-off, que inicialmente se encaixam muito bem na história.

Publicidade

Os roteiristas, Vince Gilligan e Peter Gould, conseguem trazer personagens peculiares, expandindo o universo "Breaking Bad". Mas, o que de melhor eles podiam fazer pelos fãs, eles fizeram: trouxeram caras já conhecidas do público. O primeiro episódio conta com algumas.

O único ponto negativo é que a história começa um pouco monótona, com nenhum segredo e um enredo pequeno para se desenrolar. O mistério e um pouco de emoção, só surgem após a metade do segundo episódio. Mas, se nos lembrarmos, a história de "Breaking Bad" também começa um pouco parada. Talvez até nisso, quem fez, fez sem querer para deixar os fãs cheios de expectativas.

"Better Call Saul" é uma parceria da rede norte-americana AMC e do serviço de streaming, Netflix. A primeira temporada conta com 10 episódios, mas o seriado está renovado para um segundo ano. No Brasil, o spin-off está disponível no Netflix, onde um episódio inédito será lançado toda terça-feira.

#Seriados #Inovação