O apresentador Augusto Liberato, o Gugu, reestreou nesta quarta (25) seu programa na Rede Record, mas em vez de alegria e comemoração, o que houve foi um clima tenso e muita saia justa: tudo graças à entrevistada da noite, a presidiária Suzane Von Richthofen.
Trata-se de uma entrevista reeditada pela equipe de jornalismo da emissora, sobre uma entrevista feita pela equipe de Gugu, a GGP,  com Gugu, Suzane, e sua companheira na penitenciária, a presidiária Sandra Regina Gomes (Sandrão).
A equipe de produção do programa, segundo informações de funcionários, está revoltada com a equipe de jornalismo, que manteve sigilo absoluto sobre a "atração especial" da noite, até semana passada.
Até mesmo a direção da emissora desconhecia a reedição da entrevista de Suzane, presa em 2002, por ser a mandante do assassinato dos próprios pais. Seus cúmplices foram seu namorado, na época e o irmão dele, os irmãos Cravinhos.
Na última quinta-feira (19), é que a GGP, a produtora de Augusto Liberato, revelou ter a entrevista concedida por Suzane a e a companheira a Gugu como 'carta na manga', o que gerou balbúrdia por tratar-se de algo que a equipe da emissora vem tentando há tempos, sem êxito.
O mal estar foi geral e ao ver o material, o vice-presidente de jornalismo da Record, Douglas Tavolaro, pegou o material e o entregou à pessoas de 'sua confiança', para finalização da matéria - que já estava pronta.
A entrevista, que seria apresentada de uma vez, nesta quarta-feira (25), com duração de 50 minutos, foi dividida em 2 partes, com apresentação na quarta, e na quinta-feira (26), adquirindo um tom sensacionalista, do qual Gugu queria escapar.
Augusto Liberato gravou a entrevista com Suzane e Sandra no dia 6 de fevereiro e já em sua reestreia gerou um desgaste, havendo até boatos de que Gugu teria pago R$2mi pela entrevista, mas sua equipe nega. Na entrevista, Suzane fala sobre a morte dos pais e seu relacionamento amoroso na cadeia.

Devido ao mal entendido, alguns funcionários da GGP já pensam em pedir demissão, por medo de represálias, ou por terem seus materiais especiais 'roubados' pelos colegas de profissão. #Televisão #Mídia