A atriz Angelina Jolie escreveu hoje (24) um artigo no jornal New York Times tornando público o novo procedimento por qual ela passou. Angelina conta que resolveu fazer a cirurgia de retirada dos ovários e das trompas de Falópio, pois tinha um gene com 50% de chances de desenvolver câncer. Dois anos atrás, a atriz passou por uma mastectomia, também como forma preventiva contra a doença.

A atriz deu o nome do próprio texto de "Angelina Jolie Pitt: Diário de uma Cirurgia". No relato ela dá detalhes do processo. Entre eles, Angelina escreve que é um procedimento menos complicado do que passou há dois anos atrás, mas diz que as consequências são maiores. Entre elas está uma menopausa forçada. A atriz conta que vai ter que passar por um tratamento de reposição hormonal, comum para as mulheres que chegam a esse estágio da vida. 

A vencedora do Oscar também relata que a decisão dela não foi por causa de possíveis sinais da doença, mas sim por causa do risco que os genes dela apresentavam. Os médicos de Angelina disseram que era melhor para atriz fazer a cirurgia agora, 10 anos antes de quando apareceram os primeiros sinais nas mulheres da família da atriz. Angelina Jolie perdeu uma avó e a tia com câncer de ovário, sendo que a mãe da atriz foi diagnosticada com a doença aos 49 anos.

No artigo publicado, a atriz disse não temer o futuro, mas que sabe que vai passar por algumas mudanças, como o fato de não poder ter mais filhos. Angelina também disse que isso é parte da vida e que ela se sente tranquila com as próximas etapas.

Para finalizar o texto, a ativista da ONU disse que mesmo assim não tem como eliminar todas as possibilidades de ter a doença, mas que vai procurar as mais diversas formas naturais de sempre fortalecer o próprio sistema e se prevenir do câncer. Angelina também comenta que se sente muito feminina com as decisões, que ela faz por ela e pela família dela.

Há dois anos, a atriz Angelina Jolie havia sido submetida a uma mastectomia dupla, para a prevenção contra o câncer de mama. Na época, a atriz conta que tinha 87% de chances de ter a doença. #Famosos #Televisão