Não é só a chegada de mais um instituto de pesquisa que pretende movimentar os bastidores da cobertura pela audiência no Brasil. O Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística, o Ibope, agora foi obrigado pela justiça a revelar seus maiores segredos. A briga que começou em 2001, quando o SBT quis ter outras informações adicionais sobre como funcionava o sistema de medição, agora teve um fim definitivo e com a vitória da empresa de Silvio Santos. O Superior Tribunal de Justiça, o STJ, declarou que a ação já foi transitada e julgada. Sendo assim, não cabem recursos.

O STJ manteve a decisão de 2003 e agora o Ibope vai precisar explicar como faz para ter dados sobre quem está assistindo #Televisão.

Publicidade
Publicidade

O chamado 'Real Time' sempre intrigou os empresários de comunicação e Silvio Santos chegou a montar um próprio instituto. O 'Datanexus', no entanto, não durou muito tempo, o gasto de dinheiro era muito grande e os resultados obtidos foram bem parecidos.

Medição é feita em tempo real 

O Ibope sempre disse que sua verificação sofre apuração e é auditada. Outro comentário de defesa do instituto é que ele segue padrões internacionais. A única coisa que as redes de televisão sabem é que em São Paulo existem 930 aparelhos que são conhecidos como peoplemeter.

Toda a movimentação que o telespectador faça com sua TV o instituto tem como saber instantaneamente. Se uma das pessoas troca da TV Globo para a TV Record, a medição tem como saber na hora essa decisão. Se ela desliga ou liga a TV também, por isso, além dos pontos de audiência são informados o share, que é a taxa de participação dentre os televisores ligados.

Publicidade

Foi em 2001 que o dono do SBT começou definitivamente a desconfiar do Ibope, depois de muitas reclamações o instituto parou de enviar dados sobre a audiência à emissora de Silvio Santos. O dono do canal não gostou nada e entrou na justiça. Na época, o Tribunal de Justiça de São Paulo condenou o Ibope a pagar R$ 30 mil por dia que não enviasse as informações para a rede paulista.

Emissoras bancam GFK 

A revolta de Silvio foi tão grande que ele chegou a oferecer dinheiro para quem aparecesse e falasse que tinha um peoplemeter em casa. Hoje, além do SBT, todas as outras redes de televisão querem uma segunda opinião e investem na empresa GFK. A única que preferiu ficar só com o Ibope foi a TV Globo. #Entretenimento #Famosos