Francieli Berwanger Medeiros era conciliadora criminal do Juizado Especial Criminal do Foro Regional da Restinga, Zonal Sul de Porto Alegre. A ex-BBB que foi eliminada no primeiro paredão do Big Brother Brasil 15, já havia sido afastada do cargo, logo que entrou no reality, por "desatender aos deveres da lealdade e boa fé previstos no Código de Ética da função", segundo comunicado do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul divulgado na época.

A decisão do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul de afastar Francieli do cargo foi tomada depois que a ex- sister concedeu uma entrevista à produção do programa na sala de audiências sem autorização.

Publicidade
Publicidade

E o que já era previsto na época, sobre o risco que ela corria em perder o emprego, de fato foi concretizado.

De acordo com o portal Veja, a perda do cargo é resultado de um procedimento administrativo aberto em janeiro pela Corregedoria Geral da Justiça (CGJ) para investigar a conduta da gaúcha. Dois motivos levaram a exoneração do cargo da ex-BBB segundo informações de uma juíza que atua no mesmo Fórum em que Francieli, o primeiro foi devido ela pedir autorização para utilizar a sala de audiências, informando que gravaria uma entrevista para o programa Encontro com Fátima Bernardes sobre o tema "concurseiros para delegado de polícia", quando na verdade utilizou a sala para outros fins e gravou um vídeo para o Big Brother Brasil. Outro motivo foi à falta de comunicação sobre seu afastamento para se confinar na casa mais vigiada do Brasil, Francieli não informou ninguém sobre sua entrada no reality, o que foi caracterizado como abandono de função.

Publicidade

Função de um conciliador criminal

O conciliador tem como função apenas de presidir, sob orientação do juiz, a tentativa de conciliação entre as partes, como auxiliar da justiça que é nos limites exatos da lei. Não possui vínculo empregatício ou estatuário com o Tribunal de Justiça. Para exercer o cargo os interessados devem prestar concurso. No caso de Francieli, por exemplo, ela passou por um processo seletivo e recebia remuneração no valor de R$ 9,95 reais por audiência realizada, de acordo com a assessoria de imprensa do TJ do Rio Grande do Sul. #Famosos #Televisão #BBB Big Brother Brasil