O 'Jornal Nacional' surpreendeu os telespectadores nesse sábado (28). O principal telejornal do país anunciou que uma das suas empresas irmãs estava ligada a um grande esquema de corrupção. A RBS, empresa de comunicação e afiliada da Rede Globo de Televisão no Rio Grande de Sul e Santa Catarina teria pago cerca de R$ 15 milhões de reais em um esquema que a possibilitou ficar com outros R$ 150 milhões, referentes aos débitos do imposto de renda.

Entenda o caso

Mais um escândalo pretende abalar os alicerces brasileiros nas próximas semanas. Quinze escritórios de advocacia e 24 pessoas estariam envolvidos em um milionário esquema de corrupção para poupar os gastos com impostos, dando um calote na Receita Federal.

Publicidade
Publicidade

Empresas que estão sendo investigadas pela Polícia Federal tiveram seus nomes divulgados pelo jornal 'O Estado de São Paulo'.

A operação conhecida como 'zelote' investiga a venda de decisões do Conselho Administrativo de Recurso fiscais, o CARF. O órgão faz parte do Ministério da Fazenda. Conselheiros da instituição também estão sendo apurados para ver se cometeram algum crime. O grupo é acusado de ajudar na mudança de decisões judiciais de empresas que caíram na 'malha fina'. Para uma redução da multa, as empresas precisavam pagar propinas a alguns funcionários do CARF.

A reportagem do jornal paulista listou o nome de empresas suspeitas de participarem do sistema. Dentre elas, as maiores em seus segmentos no Brasil. Ford, Mitsubishi, Br Foods (dona da Sadia e Perdigão) e a operadora de energia elétrica do Rio de Janeiro Light são apenas alguns deles.

Publicidade

Grandes bancos estão no pente fino da Polícia Federal

Bancos como o Santander tem dívidas com a Receita Federal que passam dos R$ 3 bilhões. Já o Bradesco negocia um débito de aproximadamente R$ 2,7 bilhões. O banco Safra também foi citado e ainda deve mais de R$ 700 milhões ao 'leão'. O Grupo Gerdau também teria corrompido os conselheiros para obter débitos, sua dívida atualmente é de R$ 1,2 bilhões.

Afiliada da Globo é investigada

O grupo de comunicação RBS, que tem afiadas da Rede Globo no Rio Grande do Sul e Santa Catarina teria pago R$ 15 milhões de propina para obter o desconto de R$ 150 milhões em suas despesas com a Receita. A Petrobras também está sendo investigada em mais esse escândalo de corrupção. A Camargo Corrêa foi outra que teria corrompido os funcionários do CARF para ter um alívio de mais de R$ 600 milhões.

A investigação ainda apura os fatos e novas empresas ainda podem surgir no esquema. O simples fato de serem investigadas, no entanto, não quer dizer que essas instituições serão condenadas antecipadamente.

Publicidade

Outro crime que está sendo analisado pelos policiais federais é o tráfico de influência.

Empresas negam envolvimento com as fraudes

A maioria das grandes empresas citadas nega estar com qualquer irregularidade com a Receita Federal. Mesma postura tomada pelo grupo RBS. Apesar de levar a reportagem sobre o esquema de corrupção que envolveria sua afiliada no 'Jornal Nacional', a TV Globo preferiu não se pronunciar sobre o assunto. #Televisão