William Bonner e Renata Vasconcellos não têm uma tarefa muito fácil. Com a baixa na novela das nove 'Babilônia', o principal telejornal da Rede Globo acentuou uma queda, que já vinha sendo observada ao longo dos últimos anos.

De uma segunda para a outra, o JN caiu nove pontos. No último dia 16, data da estreia do folhetim de Gilberto Braga, a atração alcançou 29 pontos. Ontem (23), apenas uma semana depois, o telejornal registrou minguados 20. Os baixos números já haviam sido observados, sobretudo, em fins de semana e feriados, geralmente ruins para a TV.

E não é só 'Babilônia' que atrapalha Bonner a dar seu "boa noite" com uma cara mais feliz, os demais folhetins, principalmente o das sete horas, que antecede o JN, também estão muito abaixo da média, dificultando para o telejornal resgatar a audiência.

Publicidade
Publicidade

Até mesmo a atual situação de crise do Brasil é colocada na ponta do lápis, quando os especialistas tentam entender porque o público simplesmente está desaparecendo das telinhas.

Muitos militantes do Partido dos Trabalhadores (PT) e de outros partidos de esquerda, comumente chamam o canal da família Marinho de 'mídia golpista' e reclamam do apoio da rede à ditadura (1964-1985). Após os protestos de 2013, a Globo pediu desculpas e confessou realmente ter apoiado governos ditatoriais, mas relembrou que isso não foi uma postura única, mas também da maioria da imprensa na época.

Voltando ao 'Jornal Nacional', você pode estar até pensando que isso é algo temporário, que é por causa da nova novela que não emplacou. No entanto, isso é um problema antigo. Há 10 anos, a média do informativo era quase o dobro da que é hoje.

Publicidade

Em março de 2005, os índices giravam em torno dos 35 pontos. A concorrência do horário também tem melhorado suas propagandas e investindo em qualidade nas suas produções.

Renata Vaconcellos e a equipe de jornalistas da Globo precisam concorrer com o épico bíblico da Record 'Os Dez Mandamentos' e com os últimos capítulos de 'Chiquititas'. O que se vê na TV aberta é uma segmentação do público, com o SBT investindo nos infantis e a emissora do bispo Macedo em histórias religiosas. #Entretenimento #Famosos #Televisão