A mulher considerada como ícone da #Música sertaneja brasileira, Inezita Barroso, faleceu ontem (8) à noite aos 90 anos por insuficiência respiratória grave, no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.

Por quase 35 anos, a cantora foi responsável pela apresentação e todo o carisma do programa "Viola, Minha Viola" da TV Cultura. Ele ia ao ar uma vez por semana e era focado em apresentações artísticas e informações sobre a cultura caipira do país.

Inezita estava internada no hospital desde o dia 19 de fevereiro. Familiares, fãs, amigos e #Famosos lamentam sua morte.

Carreira brilhante

Inezita Barroso é o nome artístico de Ignez Magdalena Aranha de Lima.

Publicidade
Publicidade

Natural de São Paulo, ela nasceu no dia 4 de março de 1925.

Apesar de ter se consagrado como cantora e apresentadora, a carreira de Inezita é muito mais ampla do que se imagina. Ela também foi atriz, participando de nove filmes entre os anos de 1951 a 1978. Por sua participação em "Mulher de Verdade", ela ganhou na categoria Melhor Atriz no Prêmio Governador do Estado e no Prêmio Saci, em 1955. Sua carreira artística como intérprete também chegou aos palcos, onde atuou em diversas peças teatrais.

Foi na década de 1980, que Inezita resolveu investir em disseminar seus conhecimentos atuando como professora. Nos próximos anos, ela trabalhou como professora de folclore, dando aulas na Unicapital e na Unifai. Tempos depois, ela recebeu pela Unicapital o título de doutora Honoris Causa em Folclore Brasileiro.

Publicidade

Inezita também foi instrumentalista e bibliotecária, tendo se graduado na primeira turma de Biblioteconomia da USP.

A paixão pela música

Inezita Barroso sempre foi apaixonada pela música. Desde os seus sete anos já se dedicava a cantar e tocar músicas sertanejas de raiz na viola e violão.

Ela também se destacou por interpretar músicas sertanejas de diversos artistas, mas não foi apenas nesse gênero que a artista teve destaque. Ela também gravou algumas músicas de jazz e de artistas que atualmente são consagrados na música MPB. Sua paixão pelas músicas também a levou a conhecer o mundo, em diversas turnês, e lhe rendeu diversos frutos. 

Desde novembro de 2014, Inezita Barroso ocupava um lugar na prestigiada Academia Paulista de Letras, em substituição à folclorista Ruth Guimarães, que faleceu em maio do mesmo ano.

Velório e enterro

O corpo está sendo velado no Hall Monumental da Assembleia Legislativa de São Paulo, na zona sul. O enterro está marcado para ocorrer às 17 horas  no cemitério Gethsêmani, na Vila Sônia, região oeste da capital.

Inezita deixou uma filha, três netas e cinco bisnetos.  #Televisão