Um simples beijo no ano de 2015 está gerando muita discussão em todos os setores da sociedade. O gesto de carinho entre Fernanda Montenegro (Teresa) e Nathalia Timberg (Estela) foi exibido logo no primeiro capítulo de Babilônia. Para os que acharam que pararia por aí, a trama decidiu não se abater e repetiu o beijo homossexual de pessoas idosas no horário de maior audiência da TV brasileira.

No entanto, alguns parlamentares e líderes religiosos pedem que seus fiéis e eleitores não assistam a Globo. Uma nota oficial, inclusive, foi emitida por alguns políticos da frente evangélica do governo. 'Apologia ao mal', escreveram.

Publicidade
Publicidade

Muitos internautas, entretanto, tem agido na contramão e pedindo o apoio ao folhetim de Gilberto Braga, João Ximenes Braga e Ricardo Linhares.

Trama vive drama fora das telinhas

Apesar da história ágil e da crítica especializada só fazer elogios, o folhetim das nove da Globo está patinando na audiência. Um dos motivos começa a ficar cada vez mais claro: estão boicotando Babilônia. Alguns líderes religiosos, como o pastor Silas Malafaia, pedem em seus cultos que os fiéis desliguem a TV. Malafaia em sua conta no Twitter criticou Fernanda Montenegro e Nathalia Timberg: "um final de carreira ridículo para duas das maiores estrelas do Brasil", postou no microblog.

Os ataques à história não ficaram só dentro dos templos evangélicos, o deputado federal João Campos do PSDB de Goiás e o senador Magno Malta do PR do Espírito Santo foram além e oficializaram uma nota de repúdio contra o beijo lésbico exibido pela emissora.

Publicidade

"Apologia ao mal. Produzida para destruir famílias. Compartilhe, não dê espaço para esta ameaça com cara de diversão. Não assista!', pedia a nota postada no Facebook do senador. O texto já tem mais de 10.000 assinaturas e pede a saída de Babilônia

do ar.

Público faz campanha a favor de Babilônia

O também deputado federal Jean Wyllys não concorda com seus colegas e os atacou dizendo que ao invés de se preocupar com uma novela deveriam se defender das muitas acusações de corrupção. Os fãs do folhetim também não gostaram nada da nota pedindo que a família brasileira deixasse de assistir a história. Muitos já fazem campanha na internet a favor de Babilônia.

Frases como "Toda forma de amor vale a pena, mesmo pessoas do mesmo sexo" e  "Se depender de 98% do Twitter nacional, tem audiência sim quereeeedos", lotaram as redes sociais.

A Globo ainda não se posicionou sobre os ataques dos religiosos e políticos ao seu produto. #Religião #Novelas