O apresentador Ratinho é conhecido pela sua opinião crítica. Nesta terça-feira, 17, em seu programa, Carlos Massa falou sobre o perdão dos impostos destinados aos clubes brasileiros de #Futebol. A medida do governo pode reduzir em até 90% a dívida dos principais times do país. Segundo Ratinho, o mesmo critério deveria ser usado para os empresários. O apresentador ainda criticou a carga tributária do país, dizendo que muitas empresas estão fechando as portas por não conseguir pagar o excesso de tributos.

Nesta terça, Ratinho aproveitou o espaço que tem eu seu programa para criticar o governo federal. No "Programa do Ratinho" exibido pelo SBT, ele falou sobre o perdão das dívidas dos impostos dos clubes brasileiros de futebol.

Publicidade
Publicidade

A anistia pode chegar a até R$ 4 bilhões. Só os doze principais times do país serão aliviados na tributação, em cerca de R$ 1,5 bilhões. Os empresários de futebol poderão pagar a dívida em até vinte anos. A mesma medida não foi tomada para diversas empresas brasileiras, que estão endividadas e podem ter que fechar.

Carlos Massa falou sobre a medida provisória que permite a renegociação das dívidas dos clubes com o fisco. O apresentador enfatizou os 240 meses que os empresários de futebol terão para pagar os impostos. "O governo aumenta imposto para fazer ajustes nas contas, sufoca o empresariado e o trabalhador, mas facilita a vida dos clubes que não pagaram impostos", disse indignado o comunicador.

Ratinho questionou o governo dizendo que os mesmos clubes pagam milhões na contratação de grandes jogadores, além dos altos salários das estrelas do futebol: "Qualquer perna de pau recebe uma fortuna de salário.

Publicidade

Se tem dinheiro para pagar salário milionário, tem que ter dinheiro para pagar imposto", complementou.

Carlos Massa ainda enfatizou que a presidente Dilma Rousseff deveria usar o mesmo critério para os demais empresários que estão endividados, já que, segundo Ratinho, a lei deveria ser a mesma para todas as pessoas no Brasil. "Pau que bate em Xico deve ser o mesmo pau que bate em Francisco. A lei precisa ser a mesma para todos", finalizou. #Televisão