A situação da novela das nove da Rede Globo de Televisão, Babilônia, a cada dia parece ficar pior. Desde que estreou, o folhetim de Ricardo Linhares, João Ximenes Braga e Gilberto Braga está no "olho do furacão" e enfrenta dificuldades para alavancar a audiência do principal produto da emissora. Os folhetins do horário tem meta de pelo menos trinta e cinco pontos de média na grande São Paulo, mas a história de Beatriz (Glória Pires), Inês (Adriana Esteves) e Regina (Camila Pitanga) só consegue fechar cada capítulo com bem menos, em torno de vinte e cinco pontos.

Se os resultados se mantiverem, Babilônia pode ganhar o título de novela menos assistida da história do canal em um ano em que a empresa de comunicação da família Marinho comemora o seu cinquentenário.

Publicidade
Publicidade

Mudanças na história não estão fazendo surtir efeitos suficientes para chegar a média mínima estipulada para às nove horas

Para tentar frear os problemas, os executivos do canal pediram que fosse antecipado o grupo de discussão de Babilônia. Os telespectadores avaliaram que falta no drama o tradicional romance novelesco e que há um exagero de cenas de violência e sexo. A Globo já anunciou que também não deve mais polemizar tanto no horário e teria pedido aos escritores do produto que não fizessem mais cenas de beijo entre Estela (Nathália Timberg) e Teresa (Fernanda Montenegro). A informação foi confirmada pelo portal de notícias UOL.

Site diz que Favela Chic terá que ser adiantada para eliminar má fase na audiência do horário

No entanto, mais um golpe duro foi anunciado, neste sábado (11), pela coluna Sala de TV.

Publicidade

Segundo a publicação, a má fase de Babilônia fará com que a novela seja encurtada e que a próxima história do horário, Favela Chic, tenha que ser adiantada. O folhetim é escrito por João Emanuel Carneiro, mesmo autor de Avenida Brasil. Até então, a telenovela só entraria no ar em setembro no horário das vinte e uma horas.

Para quem não se lembra, no ano passado, Aguinaldo Silva foi convocado a apressar sua história. Império substituiu a última novela de Manoel Carlos, Em Família. #Entretenimento #Televisão #Novelas