"Cala a boca, Galvão" - essa foi uma das frases mais ditas durante a Copa do Mundo do Brasil. Na abertura do evento, ao lado de Fátima Bernardes, o narrador Galvão Bueno foi criticado por falar demais e se viu como o assunto mais comentado do mundo. Reportagens em jornais internacionais repercutiam a campanha dos telespectadores para o narrador parar de transmitir os jogos, isso ainda no início do mundial. Meses depois, o profissional da Rede Globo de Televisão, enfim, falou sobre o assunto. A polêmica é um dos temas da biografia do apresentador, intitulada 'Fala, Galvão'. "Foi como se o mundo estivesse caindo em cima de mim, foi como um míssil na minha cabeça", disse o jornalista.

Publicidade
Publicidade

Galvão diz que brincadeira com Leifert foi armada

O narrador ainda fala no livro que ficou com medo do que poderia acontecer com ele durante os jogos, mas que depois de uma reunião com os altos executivos da Globo, decidiu que o correto era levar tudo na esportiva e fazer piada junto ao público. "Eu combinei com o Tiago Leifert da gente fazer uma brincadeira durante o Central da Copa. Pedi que ele me mandasse calar a boca no ar e disse que até ele tinha entrado na campanha. Isso acabou tomando um efeito positivo grande e demos a volta por cima, o que poderia acabar com uma carreira, só melhorou a cobertura da copa", confessou Galvão.

Galvão disse que viu os comentários com carinho. "Foi como um míssil na minha cabeça. Nesses anos todos de profissão, talvez uma das coisas mais grandiosas que já aconteceram comigo, a partir daí entendi minha importância na história da #Televisão", disse.

Publicidade

Preservação de pássaro foi mentira

O "Cala a boca, Galvão" virou um dos assuntos mais comentados do Twitter. Internautas repercutiram para outros países que a campanha era para a preservação de um pássaro em extinção. Então, muita gente foi na onda e acabou compartilhando a frase, na tentativa de arrecadar fundos para um falso instituto que supostamente preservaria o bichinho. A situação foi manchete de jornais renomados, como o 'The New York Times', dos Estados Unidos. #Entretenimento