Mais uma polêmica promete agitar os bastidores da política brasileira. Se já não bastassem os problemas econômicos e a desaprovação expressiva do governo Dilma pelos brasileiros, verificada por diversos institutos de pesquisa (apontam que apenas 12% acham o governo bom ou ótimo), agora uma suposta cartilha feita pelo Partido dos Trabalhadores, o PT, estaria propondo uma espécie de estatização da Rede Globo de #Televisão, maior empresa de comunicação do País e segunda maior emissora de TV do mundo.

A situação foi externada nesta quarta-feira (22) pelo oposicionista ao governo Dilma Rousseff, senador Ronaldo Caiado (DEM).

Publicidade
Publicidade

O parlamentar do Democratas representa o estado de Goiás e usou o tempo da tribuna do plenário para manifestar repúdio contra teses que foram expressas em um documento oficial do Partido dos Trabalhadores. O senador comparou o que acontece no Brasil com o golpe na Venezuela.

Dizendo que tirar Dilma do poder não seria um golpe, o político falou sobre alguns itens que estariam na cartilha do PT. Dentre eles, uma proposta para estatizar a Rede Globo de Televisão. De acordo com o senador, a emissora da família Marinho seria aberta para os movimentos sociais.

"Estão loucos? Um caderno que fala em estatizar a Rede Globo e abri-la para os movimentos sociais"? A lista de devaneios segue e não se acha uma proposta visando melhorar o País", disse o senador. O vídeo em que ele critica o governo foi postado em sua rede social e viralizou na internet.

Publicidade

Nas imagens, o político chega a mostrar a cartilha, que não está disponibilizada no site do PT.

A Globo e o PT tem problemas de relacionamento que se agravaram após o debate de 1989. Na ocasião, o canal deu mais tempo e falas melhores para Collor em uma edição do embate com Lula quando ambos disputavam à presidência da república. A organização política reclama ainda de um suposto apoio do canal da família Marinho para retirar Dilma do poder.

A Rede Globo ainda não deu qualquer resposta sobre o assunto. Já o Partido dos Trabalhadores confirmou a proposta que deve ser debatida no Congresso e se aprovada irá às mãos da presidente Dilma. #Entretenimento #Famosos