Quem olha para Marina Ruy Barbosa se encanta com tanta beleza. Apesar de seu rosto com traços delicados, seus cabelos ruivos tornam-se protagonistas de um imaginário que lembra de uma moça ingênua e serena a uma mulher charmosa e misteriosa. A exigência do público, leigo ou não, das artes cênicas, porém, começa a aumentar quando o imaginário não consegue ir além.

Em 2013, a atriz causou a maior polêmica de sua vida profissional ao não raspar seus cabelos para interpretar a personagem Nicole, que sofria de uma doença grave na trama. Na época, Marina teve o apoio de muitos fãs e colegas, mas não deixou de ser criticada, inclusive, de ser comparada com a atriz Carolina Dieckmann, em situação similar quando esta interpretou uma paciente com leucemia, em Laços de Família.

Publicidade
Publicidade

Quando Carolina interpretou Camila, ela tinha 22 anos, tão jovem quanto Marina. Frequentadoras do mesmo ambiente profissional, que exige cuidados com a estética e promove várias oportunidades para quem cabe num papel de pessoa vaidosa, as duas atrizes representam os mesmos anseios de todos quando o assunto é vaidade. A diferença é que quando as duas vão trabalhar, não é apenas um uniforme que precisam vestir, mas a personagem inteira. Hoje, com 37 anos, Carolina reconhece que quebrar este tabu em prol de uma conscientização de milhares de vítimas do câncer foi muito importante para seu amadurecimento pessoal e profissional. Já Marina, dona de um dos cabelos mais lindos da #Televisão brasileira, resistiu a essa mudança.

Felizmente, hoje, há vários recursos que proporcionam caracterizações mais próximas do real para os atores.

Publicidade

Tanto que em seu mais novo papel, Malvina, em Amor Te Amo, previsto para estrear em maio deste ano, Marina está usando uma peruca para aparecer morena. Com a justificativa de que não pintou os cabelos de verdade porque ainda estava gravando Império quando começou as gravações da nova atração televisiva, Marina mostrou mais uma vez resistência para sua transformação pessoal.

Independente disso, Marina sempre cumpriu muito bem os papéis que lhe foram conferidos, o que reforça que o problema de forma alguma está nas interpretações de Marina, mas sim no imaginário do público que, mesmo a enxergando morena, esperará até o final com a esperança de vê-la transformada. O fato é que todos têm tempo próprio para transformação pessoal. #Famosos