Uma verdadeira falta de respeito acontece quando uma notícia sobre a morte de alguma celebridade é espalhada pelas redes sociais.

Certamente que, no momento em que alguém se torna famoso, alguns boatos sobre quem a pessoa está namorando ou casais #Famosos que estão se separando ou se formando, também é uma invasão à privacidade; mas é algo que acaba fazendo parte das suas vidas, porém ninguém deve se julgar o senhor do destino de uma pessoa, seja celebridade ou não, principalmente em questões de vida.

Foi o que aconteceu recentemente com a atriz Tônia Carrero, cuja morte foi divulgada em redes sociais, que ela falecera aos 92 anos, cercada de seus parentes queridos.

Publicidade
Publicidade

Na verdade, tratava-se de uma matéria atual do Jornal O Globo sobre a atriz, informando dados sobre ela, mas internautas teriam feito uma infeliz e inconsequente montagem declarando sua morte.

O jornal em seguida desmentiu a falsa informação pela Internet.

Maria Antonieta de Farias Portocarrero está com 93 anos e morando na Zona Sul carioca. Vive com a saúde abalada e com dificuldades de locomoção, falando muito pouco, mas lúcida e bem-humorada, segundo seu filho, o também ator Cecil Thiré, de 71 anos, filho único de Tônia, que também contracenou com a mãe em várias ocasiões.

Preocupada com a repercussão, a neta de Tônia, Camila Thiré, num tom de desabafo pediu em vídeo para que se divulgue a falsidade da notícia da morte da avó, com as seguintes palavras: Está virando uma coisa surreal.

Publicidade

A Tônia não morreu, ela está bem, está viva. Meu telefone não para, e-mail, whatsapp... eu fico desmentindo e a coisa está piorando. Foi um susto horroroso. Por favor, parem!" suplica Camila, no final.

O próprio sobrinho Leonardo Thierry, também ator, chegou a postar uma foto da família em torno da tia para mostrar a todos que ela está viva e "vendo #Televisão neste momento."

BOATO SOBRE CAZUZA EM 1989

Um episódio quase semelhante aconteceu com o cantor e compositor Cazuza, quando dois repórteres da revista Veja noticiaram na primeira página, com a foto do cantor num estado de saúde bem debilitado (denunciando sua excessiva magreza), a polêmica matéria intitulada "Cazuza - uma vítima da AIDS agoniza em praça pública", poucos meses antes de falecer em consequência da AIDS.

Na ocasião, ao ler a reportagem, seu estado de saúde piorou, levando seus familiares e amigos à total indignação. Se houvessem redes sociais na época, provavelmente a carta do cantor, em réplica, teria sido publicada na íntegra, sendo que um dos trechos dizia que "Não estou em agonia, não estou morrendo.

Publicidade

Posso morrer a qualquer momento, como qualquer pessoa viva. Afinal, quem sabe com certeza quanto vai durar?"

Curiosamente, pela primeira vez em quase 30 anos, a edição seguinte da Veja não foi publicada, devido a uma greve da classe gráfica.

A atriz Tônia Carrero, dona de um talento tão grande quanto sua beleza física, não está mais atuando, nem no teatro, e nem na televisão, mas não morreu. Está com 93 anos, sem poder se locomover, quase não fala... mas está lúcida. E viva! #Opinião