Os #Famosos são criticados por todos os lados. Todo o cuidado com o que falam, com as perguntas que fazem, com as respostas que dão, com a forma como desenvolvem as suas atividades. O grau de liberdade de um famoso é quase nulo. Ele tem que andar na estreita linha que agrada a gregos e troianos, o que muitos famosos não conseguem. As redes sociais estão atentas e sempre que há discordância, esta é manifestada na forma de críticas. Desculpas e explicações sobre colocações incorretas são aceitas. Isto foi o que aconteceu com Tom Cavalcante.

Quanto às qualidades que eles apresentam, muitas vezes elas são esquecidas. Se alguém divulga alguma benemerência também é objeto de crítica.

Publicidade
Publicidade

Estão ajudando para virar notícia: esta é a consideração nem sempre correta. É a tradicional situação - Se ficar o bicho pega, se correr o bicho come - na qual a pessoa fica sem saída.

As pessoas que agem nesta perspectiva recebem a alcunha "haters - os odientos ou detestáveis" como considera Ricardo Feltrin. Eles parecem navegar na rede apenas para desenvolverem críticas ou desenvolverem a prática de bullying com pessoas incautas e ingênuas.

O comediante voltou para a emissora do Jardim Botânico. Isto aconteceu onze anos após o "exílio" que lhe foi imposto. No domingo passado (21) ele foi convidado do "Domingão do Faustão". Uma das primeiras atitudes do comediante foi agradecer ao amigo. Ele prestou um reconhecimento justo por sua interferência em seu favor, junto à direção da emissora.

Publicidade

Alguns comentaristas e pessoas conhecem toda a história. Trazer o comediante de volta não foi uma atividade fácil. Faustão teve que lutar praticamente sozinho, por mais de três anos com todos os escalões da emissora. A luta começou desde que Tom deixou a emissora Record. Todas as chefias foram envolvidas nos pedidos do apresentador.

As maiores resistências vieram de pessoas como ele, participantes de um nível menor na emissora e que se opunham. Esquecem eles que podem, mais cedo ou mais tarde, vir a sofrer o mesmo tipo de preconceito. A emissora não é tão boa assim para seus colaboradores, como ela mesma quer pintar na mídia. Por trás dos bastidores, muitas brigas são escondidas e muitas carreiras destruídas ou dificultadas. A pecha de "traidor" pesou muito sobre o comediante. Ninguém que trabalhasse na Globo podia sequer imaginar ir para a emissora do bispo. O comediante cometeu este pecado, mortal para alguns globais.

Enfim o apresentador conseguiu que o comediante voltasse. Mas não fez questão de divulgar. A divulgação partiu de sua produção e do próprio comediante. Hoje ele é contratado pela Multishow, emissora do grupo, na TV por assinatura. Segundo o programa do domingo que passou, ele logo voltará ao canal aberto com um programa para chamar de seu. Ficam os elogios para Faustão e boas-vindas para o comediante. #Entretenimento #Televisão