Muitos que nasceram nas décadas de 1960 e 1970, ouviram repetidamente nas rádios mundiais da época, canções como: My Friend The Wind, My Only Fascination, Rain and Tears, entre outros clássicos musicais que duram gerações. De quem estamos falando? Sim, dele mesmo, Artemios Ventouris Roussos ou somente Demis Roussos, nascido em 15/06/1946, em Alexandria, no Egito.

Os Roussos já estavam há duas gerações no Egito e o menino cresceu no coração da comunidade ortodoxa grega no meio de uma cidade muçulmana. Foi atraído para cantar desde jovem, unindo-se ao coro da Igreja Bizantina Grega de Alexandria, onde cantou por cinco anos como solista, sendo exposto às influências musicais árabes e bizantinas. Neste meio tempo, aprendeu teoria musical, tocando trompete e violão. #Famosos

Em 1956 iniciou-se a Guerra do Canal de Suez, provocando que Demis e sua família regressassem à Grécia em 1961, após terem perdido todos os bens. Conciliou estudos e trabalho para ajudar a família e nas noites atenienses atuava nos clubes de jazz, tocando trompete e formou depois de dois anos a sua 1.ª banda, The Idols, sendo o baixista e guitarrista. Em um momento único ele foi o vocalista no grupo e interpretou: House of the Rising Sun e When a Man Loves a Woman, comprovando que os anos em que esteve no coral ortodoxo de Alexandria foram muito úteis.


No verão de 1966, Roussos conheceu Vangelis Papathanassiou e criaram os Aphrodite's Child, tendo como baterista, o também grego Lukas Sideras. Sonhavam com uma carreira internacional e rumaram para a Inglaterra, mas foram impedidos de entrar lá por causa de visto, o que acaba os levando até Paris em maio de 1968 (auge da revolução estudantil francesa). O 1.º single, Rain and Tears, alcançou o topo de sucesso nas paradas da França e a partida para uma carreira que fez da banda - com Demis Roussos como baixista e vocalista - um dos nomes pioneiros do rock europeu progressivo. Em 1971, depois que os Aphrodite's Child se separaram, Roussos lançou o seu 1.º single, We Shall Dance, vindo outros sucessos como Forever and Ever ou Goodbye my Love, Goodbye. Ser o dono de uma voz poderosa e diferenciada, cabelos e barba longos um tanto desgrenhados, vestindo túnicas coloridas com lantejoulas e chegando a atingir 147 quilos, conseguiram transformar Demis Roussos em um ícone na década de 1970.


Alguns dos destaques do artista foram: cinco álbuns no top 10 (1975) no Reino Unido; foi considerado o melhor artista masculino, melhor single e melhor álbum. Roussos esporadicamente ainda colaborava com Vangelis na trilha sonora do filme Blade Runner ou na versão cantada de Momentos de Glória, editada em 1981 com o título Carruagens de Fogo. Uma outra característica marcante do grego, é que ele também era poliglota - falava e cantava em sete línguas, inglês, francês, espanhol, alemão, português (do Brasil), entre outras. Cantou o amor como ninguém. Inicialmente, o amor do homem pela mulher e depois o amor na sua forma mais ampla e geral. Em 2009 fez o seu último álbum e festejou os 40 anos de carreira com um gigantesco concerto em Atenas e ao longo de toda a carreira, vendeu cerca de 60 milhões de álbuns.


Mas, "o tempo e o imprevisto sobrevêm a todos" e na madrugada de 25/01/2015, Demis morreu em um hospital de Atenas aos 68 anos, onde já estava há algum tempo recebendo tratamento para uma doença não especificada (alguns falam em câncer de estômago) e sua morte foi confirmada pela filha do cantor, nos restando dizer com tristeza: Goodbye my Love, Goodbye!