Conforme divulgado pelo portal G1, nesta segunda, 31, dados registrados na "caixa preta" do Land Rover do cantor Cristiano Araujo, revelam que: cinco segundos antes dos airbags do carro do sertanejo serem acionados, o veículo estava a uma velocidade de 179 Km/h, no momento do capotamento. A informação foi dada à imprensa pelo delegado Fabiano Henrique Jacomelis, responsável pelo caso que investiga as causas do acidente que matou Cristiano e sua namorada Allana Moraes, de 19 anos, na BR-153, no dia 24 de junho, em Goiás.

A conclusão quanto a velocidade do carro no momento do acidente só foi possível pois as informações do Land Rover ficam registradas em módulo específico e esses dados foram enviados para a Inglaterra, onde ocorreu a análise. 

A velocidade extrema com que era conduzido o carro de Cristiano, apontada após análise, é compatível com o depoimento de testemunhas ouvidas no inquérito do caso, e confirmada pelo próprio motorista que confessou estar dirigindo em velocidade, acima da permitida no local, que era de 110 Km/h.

Publicidade
Publicidade

O delegado ressaltou que o relatório com o laudo da perícia sobre as causas do capotamento e as mortes ainda não foi concluído. É necessário esperar pela conclusão pericial, pois vários parâmetros, além da velocidade, devem ser considerados, entre eles estão: a zona de impacto e a frenagem.

O motorista do carro do sertanejo, Ronaldo Miranda, de 40 anos, apesar de assumir estar acima da velocidade permitida no trecho da estrada, diz não saber precisar a velocidade exata no momento do acidente, pois o carro é muito potente. Ronaldo só lembra de ouvir um barulho que parecia um pneu estourado, e em seguida, ele perdeu o controle do veículo. Caso fique comprovado pelo laudo pericial o excesso de velocidade, Ronaldo pode ser condenado por homicídio culposo, quando não há a intenção de matar. A pena, neste caso, pode variar de 2 a 4 anos de detenção.

Publicidade

O acidente ocorreu na madrugada do dia 24 de junho, por volta das 3h30, quando Cristiano Araujo voltava de um show que havia realizado em Itubiara, no sul de Goiás. No carro, além de Ronaldo e o cantor, estavam sua namorada, Allana, que morreu na hora, e Victor Leonardo, seu empresário, que ficou levemente ferido.

O físico Reges Guimarães analisou a velocidade do carro baseado em vídeo de uma câmara de segurança. Ele afirmou que o motorista dirigia a uma velocidade média de 162 Km/h. #Televisão #Comportamento