Até a maior empresa de comunicação do país, a Rede Globo de Televisão, acaba sendo afetada pelos problemas econômicos também pela alta do dólar. A moeda americana chegou na última semana a patamares impressionantes, ultrapassando a barreira dos R$ 4,00. Como estão no exterior, a maior parte dos correspondentes tem seus salários estipulados em dólar, que são convertidos para a moeda do país base o qual eles fazem seus trabalhos jornalísticos. De acordo com o site 'Notícias da TV' nesta sexta-feira, 25, a emissora decidiu que em janeiro quatro de seus correspondentes mais experientes retornariam ao Brasil: André Luiz Azevedo, de Portugal, Helter Duarte, dos Estados Unidos e Roberto Kovalick e Renato Machado de Londres, na Inglaterra. 

No lugar dos chamados 'medalhoes', jornalistas menos conhecidos devem entrar para ganhar no máximo 30% do que eles.

Publicidade
Publicidade

Os veteranos já estariam sabendo da situação através de um comunicado interno enviado por Ali Kamel, responsável pela direção-geral do jornalismo da emissora carioca.

As funções de Renato Machado, por exemplo, serão acumuladas por Cecília Malan. A jornalista deve começar a fazer constantemente entradas ao vivo nos telejornais da casa, como o 'Bom Dia Brasil'. Lembrando que Machado apresentava o noticioso matutino até o ano de 2011. Com sua volta ao Brasil, o profissional da mídia deve se dedicar ao 'Globo Repórter'. 

Roberto Kovalick fará reportagens especiais em São Paulo. Em Londres, ele terá dois substitutos: Ernani Lemos e Pedro Vedova. Vedova estava atualmente em Berlim, na Alemanha. Caberá a Sandra Coutinho substituir Helter Duarte em Nova York. A repórter vem crescendo desde que levou um "fora" do presidente Barack Obama, que protegeu Dilma de uma pergunta quente.

Publicidade

Coutinho já estava fazendo trabalhos para o 'Jornal Nacional' e tem recebido elogios de William Bonner. De acordo com o 'Notícias da TV', um correspondente internacional chegava a ganhar até 20 mil dólares mensais. Esse valor deve cair para apenas 6 mil dólares.  #Desemprego