As apresentadoras Maria da Graça Xuxa Meneghel e Adriane Galisteu podem pela primeira vez na vida terem que trabalhar juntas no mesmo canal, a emissora do bispo da Igreja Universal do Reino de Deus, Edir Macedo, a TV Record. Muito se comentou que a chegada da eterna "rainha dos baixinhos" à Record teria impedido a volta de Galisteu à rede de TV. No entanto, os tempos agora são outros e Galisteu pode sim voltar ao canal em um novo formato. O projeto com a Fremantle, que distribui outros produtos em diversos canais, como a 'Dança dos #Famosos' do 'Domingão do Faustão', está guardado a sete chaves. 

Em recente entrevista a um programa do portal de notícias UOL, Galisteu lembrou que esteve poucas vezes na vida no mesmo ambiente de Xuxa e que as duas só trocaram poucas palavras, não podendo assim falar nada dela.

Publicidade
Publicidade

De acordo com a apresentadora, tudo o que ela sabe da loira é o que sai na imprensa e as impressões que ela tem são formadas com a mídia. As duas sempre foram vistas como rivais pela imprensa. As loiras tiveram um relacionamento amoroso com Ayrton Senna no ano de sua morte. Apesar de ter se separado de Ayrton, a mídia praticamente noticiou que ela era a viúva de Senna. Na época, a mãe de Sasha vivia seu auge na #Televisão brasileira, tendo programas no Brasil e em países estrangeiros. 

A última vez que Adriane Galisteu fez um programa na TV aberta foi em 2012, quando esteve a frente do 'Muito Mais', programa de variedades exibido pela TV Bandeirantes. De lá para cá, a apresentadora só atuou em projetos na TV fechada. Mas isso pode mudar. De acordo com informações do portal de notícias Yahoo, a loira pode retornar à emissora de Edir Macedo já em 2016, em um formato completamente diferente.

Publicidade

Não há detalhes sobre o novo programa e nem em que pé estão as negociações entre a Record e a Fremantle. Lembrando que Adriane Galisteu trabalhou no canal de 2000 a 2005, logo depois que saiu da RedeTV!. Depois ela passou mais quatro anos no SBT, ficando na emissora de Silvio Santos até 2008. Na Band, outros quatro anos #Novelas