Ela é considera uma das melhores atrizes da sua geração. Taís Araújo surgiu na #Televisão como 'Xica da Silva', na extinta Rede Manchete. De lá para cá, grandes papéis marcaram a esposa de Lázaro Ramos. Em entrevista ao site Notícias da TV, em reportagem publicada nesta terça-feira, 14, Araújo deu um depoimento revelador, dizendo que fazer a Helena de Manoel Carlos na novela 'Viver a Vida' acabou sendo um grande erro. "Foi um fracasso e depois disso virei uma outra atriz", disse ela. A revelação apareceu dias antes de Araújo estrear no novo seriado 'Mister Brau', que substituirá o grande sucesso de 'Tapas e Beijos'. Uma missão muito difícil que começa a ser encarada a partir do dia 22. 

Ao avançar da idade, agora já com 36 anos, Taís Araújo entende que nem sempre fazer a protagonista de uma novela, série e filme é o melhor para sua carreira, mas sim de que ela precisa encarar papéis que se adequem a ela, e vice e versa.

Publicidade
Publicidade

De acordo com a profissional da dramaturgia, muitas vezes são os personagens secundários nas #Novelas que acabam sendo os mais ricos, também criando assim um maior desafio para ela. Apesar de dizer que a Helena de 'Viver a Vida' foi um fracasso, Taís Araújo não se arrepende de ter feito o papel, porque a partir dali ela ficou mais segura para determinar que atriz quer ser.

A esposa de Lázaro Ramos falou na entrevista que de fato ser protagonista enche os olhos, mas que um bom ator precisa mudar o disco, apostando em novas coisas, do contrário, acaba estigmatizado para fazer sempre as mesmas coisas. No novo seriado, Taís Araújo mostrará que tem tempo de comédia. Ela relatou que está sendo muito divertido fazer o novo trabalho, mas que ao mesmo tempo a atividade é bem prazerosa e difícil. "É uma questão de aprendizado mesmo.

Publicidade

A gente chega dura no humor, mas aos poucos vai amadurecendo e fazendo coisas bacanas", disse empolgada. 

Mas não é toda protagonista que dá errado. Taís lembrou de seu papel de destaque em 'Da Cor do Pecado'. A Preta foi a primeira personagem de destaque de uma novela da Globo que não se passou nos tempos da escravidão. Para Araújo foi também importante ficar um longo tempo de seu papel na Manchete, descansando assim sua imagem.