A sociedade entre o dono da Record, Edir Macedo, e o dono do SBT, Silvio Santos, já está fazendo com que as gigantes da TV por assinatura se movimentem, evitando assim que surja uma nova concorrente. Ter uma empresa criada pelo SBT e Record poderia prejudicar muito essas empresas, diminuindo o tamanho delas no mercado. Por conta disso, o Cade, Conselho administrativo de Defesa Econômica, está recebendo um bombardeio de reclamações. No argumento dessas empresas, elas dizem que a nova companhia de TV a cabo criaria condutas abusivas e prejudicaria o consumidor, fazendo eles pagarem mais.

O caso voltou à tona nesta quarta-feira, 09, pelo site 'Notícias da TV'.

Publicidade
Publicidade

A nova empresa está desde julho deste ano esperando uma aprovação do Cade para começar a funcionar. Além da Record e do SBT, também faz parte da sociedade a RedeTV!. A empresa foi nomeada de 'Joint Venture' e terá o objetivo de fazer uma negociação conjunta do sinal digital das três emissoras de #Televisão com empresas chamadas de operadoras, como a Sky, GVT e Net. Nada muda pela disputa pela audiência, o que apenas acontece é uma união para que as três redes de TV consigam ganhar um pouco mais, conseguindo assim negociar com a TV a cabo. A maior parte dos assinantes dos serviços de TV a cabo assiste justamente aos canais abertos. Eles escolhem pagar o serviço para terem uma qualidade melhor do sinal.

O negócio das empresas televisivas é considerado legal pela nova legislação federal. Desde 2011, com a criação da lei número 11.485, os canais de TV podem sim negociar os seus sinais com as operadoras de televisão a cabo.

Publicidade

No entanto, o sinal analógico continua completamente gratuito. Mas em 2016 esse sinal simplesmente será cortado. Apesar das operadoras reclamarem, elas já precisam pagar pelo sinal da TV Globo. A emissora corresponde a um terço da audiência total dos serviços. Boa parte dos assinantes sequer tira da TV Globo, deixando de assistir canais de filmes, desenhos, notícias e etc. 

A Claro e a Net, que juntas tem mais de sete milhões de assinantes, já enviaram uma documentação ao Cade, dizendo que o aumento faria muita gente desistir do serviço ou então simplesmente parar de assistir os canais, que até então, eram conhecidos como abertos.  #Crise econômica