O "É de Casa" não conseguiu mesmo conquistar o público brasileiro. A atração que vai ao ar nas manhãs de sábado é apontada pelos telespectadores como cansativa, chata, abordando temas sem nenhum interesse e também é apontado um outro grave problema que é a confusão que vira o programa por causa da grande quantidade de apresentadores.

Na busca de sair da vice-liderança no horário e passar o SBT, que continua garantindo a maior audiência, a Rede Globo de Televisão já está estudando a possibilidade de cortar alguns dos apresentadores. A dúvida agora é saber quantos cortar e quem deixará a atração.

A audiência do "É de Casa" não chega a ser ruim, o problema maior é que não consegue superar os desenhos do SBT, mas a Globo sabe que a atração pode ser melhor, mais ágil, mas animada e mais atrativa, principalmente.

Publicidade
Publicidade

A principal causa de todos os problemas enfrentados hoje pelo programa é o excesso de "estrelas" na apresentação. Todos os apresentadores se acham capazes de apresentar um programa sozinho e, na verdade, é isto que cada um deles deseja, ter um programa só seu. O resultado é desastroso, pois todos ficam falando ao mesmo tempo e querendo aparecer mais.

São 6 apresentadores para pouquíssimas matérias. Tiago Leifert, André Marques, Patrícia Poeta, Zeca Camargo, Ana Furtado e Cissa Guimarães ficam fazendo revezamento e mesmo assim está cansativo. O "É de Casa" não tem uma personalidade, uma "cara", é um programa indefinido, pode-se dizer. O espectador fica cansado e até incomodado com tantos apresentadores querendo mostrar qual é o melhor e mudam de canal.

Enquanto a emissora de Silvio santos, tendo em sua programação o "Mundo Disney", fica com 7 pontos em media, a Globo mal consegue chegar aos 6 pontos.

Publicidade

É importante lembrar que 7 pontos é quase o máximo que se consegue chegar em uma manhã de sábado, pois é um horário que não se consegue um público maior do que este que já está na frente da TV. A Globo sabe que, por mais que se faça alterações no "É de Casa", dificilmente conseguirá alcançar os 8 pontos.

A emissora quer mesmo é assumir a liderança e jogar o Sistema Brasileiro de #Televisão para a segunda posição, mas a tarefa não vai ser fácil, pois, diferente do que se imaginava, o público das manhãs de sábado não tem o menor interesse para um programa de variedades, ainda mais no formato deste que a Globo criou.

Reduzir de 3 a 4 apresentadores é o primeiro passo para tentar fazer o “É de Casa” dar certo. Mas será que a Globo vai ter coragem de eliminar 4 dos apresentadores? E quem seriam os escolhidos para deixarem a atração? Vai ser preciso muito sangue frio para mudar isso. #Famosos #Blasting News Brasil