Ela é considerada uma das autoras mais famosas da Rede Globo de Televisão e também responsável pelos maiores sucessos da emissora carioca. Glória Perez tem no currículo sucessos antológicos, como 'O Clone' e 'Caminho das Índias', folhetim feito em 2009 e que foi a primeira novela do canal da família Marinho a receber o prêmio Emmy Internacional, o maior da televisão. Para comemorar os seus 50 anos, a Globo escalou para a sessão de reprises do 'Vale a pena Ver de Novo' histórias que marcaram. Primeiro foi a vez de 'O Rei do Gado', que chegou a ter audiência semelhante da novela das nove em plena tarde, depois foi a vez de 'Caminho das Índias'.

Publicidade
Publicidade

Mas não pense que reprisar uma novela é certeza de 100% de alegria para um autor.

Exibida no horário nobre, 'Caminho das Índias' tem histórias que não podem ser veiculadas no horário da tarde. Nudez e violência são proibidas nesse horário. Para readequar o que é exibido, o canal precisa fazer cortes e eles não são poucos. Tanto é que nesta quarta-feira, 07, a autora Gloria Perez reclamou "das mãos de tesoura" do canal. Isso aconteceu depois da escritora receber centenas de mensagens de fãs do folhetim. Muitos dizem até que estão se perdendo na novela, já que alguns cortes fazem o folhetim perder até o sentido. Gloria usou o Twitter para se manifestar. 

Segundo Gloria Perez, 'Caminho das Índias' sobrevive com os cortes, mas acaba perdendo sua força, o seu impacto. Para ela, os telespectadores acabam tendo uma visão um pouco diferente da história.

Publicidade

Já outra seguidora atenta, reclamou que na reedição feita pela Globo, algumas cenas estão entrando em outros capítulos. "Colocaram uma cena que foi ao ar na segunda-feira na quarta", disse a telespectadora. Perez teve bom humor e respondeu. "Para você ver como os autores sofrem com esses cortes nas #Novelas". 

Um outro internauta questionou tantos cortes. A autora também disse que queria entender e disse que dói ver 'Caminho das Índias' tão picotada. A novela a tarde precisa atender à classificação indicativa de até 12 anos. Se os cortes não forem feitos, o folhetim pode ser até obrigado a mudar de horário".  #Entretenimento