O escritor Cacau Oliver, que atua no meio jornalístico, era amigo de Leila Lopes, que se matou em 2009. Ele resolveu contar a história da atriz escrevendo uma Biografia dela. Segundo ele, esse é um meio de homenagear Leila por sua bela carreira.

Leila Lopes sofria de depressão e estava passando por desilusões amorosas na vida, além de decepções na vida profissional. Segundo Oliver, todo o dinheiro arrecadado na venda dos #Livros será destinado a instituições que cuidam de crianças carentes. Ele não quer obter lucro em cima da história da atriz, quer apenas que os leitores vejam a mulher brilhante e guerreira que Leila foi. 

O escritor acabou de apresentar a imprensa um trecho da Biografia que está escrevendo sobre Leila e que pretende lançar em breve.

Publicidade
Publicidade

No texto, ele diz que antes de morrer, Leila confessou para ele que duvidava do caráter de muitas pessoas do meio artístico, com quem ela tinha muito contato. Leila era uma pessoa com boa índole e estava decepcionada com alguns colegas de trabalho de caráter duvidoso.

Ela também revelou ao jornalista suas decepções amorosas, fato que ajudou a agravar seu estado de depressão, doença da qual ela já estava se tratando.

Atriz Leila Lopes comete suicídio

Leila Lopes foi achada morta após ingerir veneno de roedores. Ela deixou uma carta para a família explicando os motivos de sua morte. Na carta de despedida, Leila pedia as pessoas para não se entristecerem com sua partida, nem chorar, pois ela estava feliz. Ela disse que estava em paz, queria ir encontrar sua mãe já falecida e viver a eternidade com Deus.

Leila relatou que sua morte foi apenas uma viagem para o céu.

Publicidade

Segundo ela, sua vida na terra já não tinha mais sentido, pois já vivera tudo o que tinha para viver. Ela foi feliz, amou, se realizou profissionalmente, mas tudo isso já não fazia mais sentido, relata na carta.

Leila estava cansada de ter que acordar todos os dias e ter problemas para resolver, ela queria dar fim a uma vida que considerava cansativa, e se sentiu no direito de partir. A atriz tinha consciência que estava cometendo pecado segundo suas crenças, mas também estava certa do perdão de Deus para ela.

Um de seus trabalhos mais marcantes na TV foi a professora Suzane na novela "O Rei do Gado", em 1996, recentemente reprisada pela Rede Globo. #Entretenimento #Famosos