A cantora Daniela Mercury e sua esposa, a jornalista Malu Verçosa,  participaram do evento na sede da ONU, em Nova York, na sexta feira, 20, que tratava de um debate sobre os direitos LGBTI ( lésbicas, gays, bissexuais, pessoas trans e intersex ), na America Latina.

Daniela e Malu, que são donas do título Campeãs da Igualdade dado pela Organização das Nações Unidas, aproveitaram o debate para comemorar o título, bem como a campanha contra a homofobia que será lançada pela ONU sob o nome "Livres & Iguais". O clipe da campanha, lançado no evento, é embalado pela música Maria Casaria, de Mercury, e utiliza imagens inéditas do casamento de Daniela e Malu, em outubro de 2013.

Publicidade
Publicidade

A música Maria Casaria faz parte do próximo disco da cantora, " Vinil Virtual ", que chega às lojas no próximo dia 27. O álbum da artista já começa a chamar a atenção do público pela foto da capa. Daniela, completamente nua, aparece abraçada à mulher, Malu. A foto está fazendo tanto sucesso que já viralizou, na internet.

Segundo o Diário de Pernambuco, Daniela Mercury demonstrou toda a sua alegria postando em seu perfil no Instagram versos que celebram o beijo que ela e sua amada protagonizaram na ONU no lançamento do clipe da campanha Livres e Iguais, o amor e a liberdade.

Daniela, que é embaixadora da Unicef há mais de 20 anos, aproveitou o evento para declarar que Deus não era homofóbico. Disse que se sente privilegiada de ser como é, e que o fato de ser homossexual não a tornava uma pessoa pior, mas mais "interessante".

Publicidade

Falou ainda que somos uma obra de arte única , e que deseja direitos iguais, mas não quer ser igual a ninguém.

A cantora aproveitou para demonstrar que rejeita a diferenciação entre homens e mulheres. "Somos todos pessoas", afirmou a artista.

Já Malu Verçosa em sua fala lembrou que a homossexualidade sempre existiu na humanidade e que as pessoas deviam estar mais preocupadas em combater a violência e a discriminação que existe no mundo, e não com quem cada um ama.

Apesar de todo avanço e todas as conquistas do mundo LGBTI em países ocidentais, nos últimos anos, a violação dos direitos humanos de pessoas desse grupo continua sendo uma constante nos países da América Latina. #Famosos #Comportamento