A crise econômica e os altos gastos promovidos em 2015 fizeram uma emissora de televisão, a TV Record, recorrer a um processo de terceirização. A medida que deve poupar dinheiro é boa para a empresa de Edir Macedo, mas nada positiva para os funcionários, que podem ter cortes de até 60% em seus salários.

Com um detalhe, os ganhos dos profissionais seguem a base das categorias e giram em torno de R$ 2 mil. De acordo com informações do jornalista Sandro Nascimento, esse processo já deve começar a se desenrolar com o fim das gravações da segunda temporada de 'Os Dez Mandamentos'.

O processo de demissão e recontratação dos funcionários do RecNov, centro de produção dramatúrgica, no Rio de Janeiro, está sendo muito complexo.

Publicidade
Publicidade

Isso porque, os sindicatos das categorias tentam ao mesmo tempo assegurar que ninguém vai ficar sem emprego, mas também que esses funcionários serão recontratados pela empresa terceirizada, a Casablanca, ganhando o mesmo que antes.

Mesmo que o salário permaneça inalterado, esses profissionais já terão uma queda de 10% em seus ganhos, devido à inflação no país. Desde que souberam da possibilidade de terceirização no RecNov, muitos funcionários tentaram buscar empregos em outras empresas de comunicação, mas nenhuma delas está no movimento de contratação, pelo contrário. 

Além de perder até 60% do quanto ganhavam, esses funcionários ainda precisam aceitar a contratação no sistema de PJ, Pessoa Jurídica. Com isso, elas perdem direitos básicos do trabalhador brasileiro, como o 13º salário, as férias e o fundo de garantia.

Publicidade

No sistema, é como se os funcionários simplesmente não tivessem vínculo empregatício com a Casablanca. A ideia é que a produtora fique no comando do RecNov até 2025.

A renovação acontecerá de 5 em 5 anos. Além de não precisar pagar mais ninguém, pagando apenas pelos capítulos e programas feitos pela Casablanca, a Record ainda receberá o pagamento de um aluguel da empresa. O curioso é que até agora a medida é vista como legal e está indo em frente a todo vapor.  #Desemprego #Crise econômica #Rede Record