Em pleno ano de 2015, a atriz global Taís Araújo sofre com perseguição e discriminação em rede social. No último dia 31, a atriz foi alvo de comentários contendo frases pejorativas com comentários racistas. Os autores dos ataques racistas comentaram uma foto da atriz em sua página do Facebook, com frases como "Já voltou da senzala?", "Cabelo de bombril", "Cabelo de esfregão" , "Quem postou a foto desse gorila?" e muitas outras ofensas.

O caso teve muita repercussão e foi comentado no mundo todo. No último dia 4 Taís fez uma denúncia na delegacia de repreensão a crimes da internet em Manguinhos, Zona Norte do Rio de Janeiro.

Publicidade
Publicidade

A artista Taís Araújo prestou depoimento com o delegado Alessandro Thiers por 1 hora e meia. Segundo fonte do jornal "Extra", trinta pessoas já foram rastreadas e identificadas pela DRCI. Dentre eles está um jovem de 18 anos morador de São Paulo capital e sem antecedentes criminais.

A esposa de Lázaro Ramos não quis falar com a imprensa, mas emitiu uma nota em sua página: "Fiz a ocorrência porque sei que meu caso não é isolado e é exatamente o que acontece com milhares de outros negros no País". E mesmo diante de tanta comoção, a atriz diz que está muito feliz por receber vários comentários de força e elogios; muitos que a admiram e respeitam prestaram suas opiniões e palavras de apoio. Taís também disse em sua página, no último domingo: "Não vou me intimidar, tampouco abaixar a cabeça".

Publicidade

O delegado responsável suspeita de formação de quadrilha, pois um grupo no Facebook identificado como 'QLC The Return' tem em seus integrantes os maiores suspeitos. Suas postagens contêm planos de ação contra a artista e comentários caçoando da Polícia Federal, todos os seus usuários são contas fakes e ainda comentam que estão denunciando contas alheias para prejudicar e confundir a polícia.

Segundo o delegado, as investigações descartam a participação de menores de idade, e a pena para um adulto chega a 8 anos de prisão. Ele ainda reforçou que qualquer um que sofreu injúria racial deve procurar a delegacia de repreensão a crimes da internet e exercer seu direito de cidadão. #Crime #Novelas #Rede Globo