As demissões que atingem todo o país deixam muitas famílias fragilizadas. Praticamente todos os ramos da economia registram suas perdas em 2015, ano no qual a inflação já chega aos 10% no Brasil. Para conseguir pagar as contas, as empresas, inclusive as do ramo de comunicação, precisam fazer cortes e acertar os pontos.

Uma das empresas de comunicação que está fazendo demissões para se readequar ao atual cenário nacional é o SBT. No Complexo Anhanguera, em São Paulo, o clima é de desolação, e até os funcionários mais antigos já estão sabendo que podem deixar o quadro da estação televisiva.

De acordo com informações do jornalista Flávio Ricco, em reportagem publicada nesta sexta-feira, 13, um novo corte recente gerou até um mal-estar de um funcionário na emissora de Silvio Santos.

Publicidade
Publicidade

Na última semana, Odaria Baleiro, contratado há 32 anos pelo #SBT, descobriu através de um comunicado que seria demitido. O homem, que trabalhava como operador de link, ficou desolado, dizendo que dedicou toda a sua vida ao canal. Chorando copiosamente, o funcionário passou tão mal que foi não só parar no hospital, como também na UTI, deixando colegas preocupados e também indignados pela forma como tudo foi feito.

Até a noite desta quinta-feira, 12, Olaria Baleiro seguia internado. A situação é mais preocupante porque o empregado sofreu recentemente um infarto, fato sabido por todos no canal, especialmente porque ele era um pessoa querida na empresa. Depois da repercussão do caso, o SBT decidiu rever a decisão e mandou recontratar o funcionário, que já foi avisado da mudança. 

Nos próximos meses, pelo menos 100 outros funcionários devem ser demitidos em todo o país.

Publicidade

Os estados mais afetados serão Rio de Janeiro e São Paulo. A afiliada da empresa em Brasília também deve efetuar baixas. O canal se junta a outras empresas do ramo, como a Veja, que neste ano fechou suas publicações impressas na capital do país, fazendo dezenas de demissões, além do grupo Bandeirantes, que teve baixas também na casa das centenas. #Televisão #Desemprego