Um mistério ronda o Grupo Globo. Demitido há cerca de 15 dias, o jornalista Sidney Rezende, um dos mais respeitados da sua área e há 19 anos prestando serviços para a Globo, deixou a empresa de comunicação sem nem poder se despedir. De acordo com informações do jornalista Daniel Castro em reportagem publicada nesta quinta-feira, 26, Sidney foi sumariamente demitido, mas o diretor de jornalismo e de esportes do grupo, Ali Kamel, quis publicar um comunicado interno, assim como já fez diversas vezes, dizendo que o profissional da mídia pediu para deixar a empresa por vontade própria, já que queria cuidar dos próprios negócios, como um portal de notícias que leva o seu nome. 

Rezende é responsável pela implementação da primeira rádio apenas voltada para notícias no Brasil, a CBN.

Publicidade
Publicidade

Ele teria se recusado a dizer tal mentira sobre sua saída porque não tem vergonha da verdade. A demissão dele aconteceu devido a seu alto salário, já que ele era considerado um "medalhão". O movimento no grupo é de trocar profissionais mais experientes por "novatos", que chegam a ganhar até três vezes menos que os experientes. 

Em conversa com amigos, o jornalista disse que o diretor da Globo News, Ali Kamel, queria enviar um e-mail interno falando sobre o seu suposto pedido de demissão, mas que ele bateu de frente e não aceitou a tal proposta. O jornalista se recusou a publicar uma mentira. O diretor então para não acusar a #Crise econômica que seu grupo sofre, preferiu não fazer qualquer citação à saída de Sidney Rezende. Kamel neste ano fez textos elogiando o trabalho de outro jornalista demitido do grupo Globo, Eduardo Grillo, considerado o fundador do primeiro canal a cabo de notícias do país, a Globo News.

Publicidade

O mesmo movimento aconteceu com Christiane Pelajo, que foi desligada do 'Jornal da Globo'. 

Existe um movimento para o futuro de trocas dos correspondentes internacionais do Grupo Globo. Novamente para economizar. No ano, jornalistas do InfoGlobo também foram demitidos. A Redação da TV Globo no Rio de Janeiro também sofreu cortes.  #Desemprego #Rede Globo