Meadow Walker, filha do ator Paul Walker, disse que a Porsche era a culpada pela morte do pai, acusando-a de homicídio negligente. A empresa não ouviu a acusação calada e emitiu um comunicado informando que o Walker foi o único culpado por sua morte em um acidente trágico.

De acordo com a empresa, o veículo pilotado por Paul Walker é sofisticado, moderno e seguro. O acidente fatal foi no dia 30 de novembro de 2013, em Los Angeles e chocou fãs do mundo inteiro. Para a Porsche, o ator jamais deveria andar em altíssima velocidade pelas ruas da cidade.

O assunto não parou por aí, após o comunicado da Porsche, Meadow Walker respondeu a empresa dizendo que é "lamentável" que uma companhia deste tamanho se pronuncie a respeito do caso para culpar a vítima pela sua própria morte. A filha do ator já abriu um processo contra a Porsche, culpando a empresa pela morte do pai e o argumento utilizado foi o de que o veículo utilizado pelo ator tinha "várias falhas de design".

Publicidade
Publicidade

Para a Porsche o acidente aconteceu por causa da velocidade excessiva em que o carro se encontrava no momento do acidente e por isto o astro era o único culpado, já que se ele tivesse respeitado o limite de velocidade na via em que transitava nada disto teria acontecido. A empresa informou que Walker estava dirigindo um "experiente e sofisticado Carrera GT 2005" e jamais poderia atingir a velocidade que alcançou, principalmente por estar em via urbana. Paul Walker morreu com apenas 40 anos, deixando milhões de fãs órfãos.

Acontece que não era o ator que estava dirigindo o veículo, mas seu amigo Roger, que também acabou morrendo no acidente, e isto deixou a filha de Paul Walker ainda mais revoltada, após a declaração da Porsche.

No processo aberto por Meadow Walker, ela alegou que o cinto de segurança do veículo foi responsável pela morte do pai, já que suas costelas e a pélvis se partiram.

Publicidade

Os advogados da filha do ator fizeram questão de mencionar no processo que a empresa sabia muito bem que o veículo "Porsche Carrera GT" conta com uma "história de instabilidade e problemas de controle. Para o advogado, este acidente poderia sim ter sido evitado, se a empresa tivesse feito mudanças e o veículo oferecesse um sistema de estabilização.

Agora a justiça deverá decidir quem tem razão: a filha de Paul Walker ou a empresa Porsche. Qual a sua opinião? Deixe seu comentário. #Famosos #Televisão #Cinema