Quentin Tarantino ('Kill Bill', 'Bastardos Inglórios') tem sido o alvo de polêmicas envolvendo as suas declarações a respeito da brutalidade da polícia estadunidense. O diretor chegou a participar de protestos em Nova York. Ele disse estar feliz por ter participado, onde protestou contra as mortes de negros e latinos causadas por policiais.

"O que nós estávamos fazendo lá? Existem muitas estatísticas por ai, muitas pessoas que estavam vivendo e respirando e que agora estão mortas. Chegou a hora de contar as suas histórias e como tudo aconteceu", diz o cineasta.

Suas declarações durante as manifestações fizeram com que o NYPD (Departamento de Polícia de Nova York) e os sindicatos da categoria declarassem um boicote aos seus filmes.

Publicidade
Publicidade

A polícia de NY divulgou uma nota onde afirma:

"Não é surpresa que alguém que ganha a vida glorificando crimes e violência também odeie a polícia. Os policiais que Quentin Tarantino afirma ser 'Assassinos' não estão vivendo em uma de suas depravadas fantasias da telona, eles estão se arriscando e algumas vezes sacrificando suas vidas para defender suas comunidades do crime e caos. Nova Iorquinos precisam mandar uma mensagem para esse defensor da depravação que ele não tem motivos para vir a nossa cidade divulgar a sua 'ficção policial'. É hora de um boicote aos filmes de Tarantino".

Em entrevista à rede americana MSNBC, Tarantino afirmou: "Só por que eu estava protestando contra a brutalidade da polícia, não quer dizer que eu seja anti-polícia". Sobre o boicote dos sindicatos, ele disse: "Eles querem me prejudicar, dar a entender que eu disse coisas que eu não disse.

Publicidade

O motivo por trás disso é que eles querem me calar. É mais fácil discutir com celebridades do que lidar com o fato que os cidadãos perderam a confiança neles. Eles querem me boicotar, isso talvez aconteça, talvez não".

E o cineasta mandou uma mensagem para os oficiais: "Parem de atirar em pessoas desarmadas! Nós queremos justiça, mas parem de atirar em pessoas desarmadas".

Quentin Tarantino admitiu que tudo isso têm causado preocupação à distribuidora de seu próximo filme "Os 8 odiados." Ele afirmou: "Eu tenho certeza que para a companhia que está produzindo o filme (Wenstein Company) é uma dor no traseiro para eles. Mas ao mesmo tempo eles são a companhia que lançou 'Fruitvale Station: A Última Parada'", em referência ao filme de 2013 que narra a história real de Oscar Grant, que foi baleado pela polícia em Oakland, Califórnia.

O próximo filme de Tarantino "Os 8 Odiados" só deve chegar ao Brasil em janeiro do ano que vem. #Famosos #Cinema #Casos de polícia