A Band decidiu explorar as #Novelas turcas após o sucesso que estas produções fizeram em outros países da América Latina. A primeira produção entrou no ar em março com o título "Mil e Uma Noites" com uma trama diferente do tradicional visto nas brasileiras convencionais e nas mexicanas do SBT - a protagonista diante da impossibilidade de pagar o tratamento da filha doente, se via obrigada a casar com um homem rico para custear a cura da menina. O sucesso de outros países se consagrou também por aqui, dobrando a audiência da Band no horário.

Após "Mil e Uma Noites" veio "Fatmagul", mais uma trama turca de sucesso nos países latinos e que sustentou os índices da produção anterior.

Publicidade
Publicidade

Em suas últimas semanas, "Fatmagul" precisa ter sua substituta escolhida e a Band optou por "Ezel", que tem sido criticada pelos fãs das novelas turcas, que afirmam ter uma trama mais fraca que as primeiras exibidas pela emissora paulista. A crítica tem fundamento - em países como Chile e Argentina, por exemplo, "Ezel" fracassou e mudou de horário, ficando escondida nas grades de programação, tentando manter o público que lhe restou.

Após anunciar "Ezel" e ter iniciado há meses a sua dublagem para a língua portuguesa, a Band anunciou a troca pela novela "Sila - Escrava do Amor". Segundo o colunista Flávio Ricco, a troca se deu devido a precauções com possíveis vetos do Ministério da Justiça devido às diversas cenas de violência em "Ezel". "Sila" chegará a Band como uma incógnita, sem nenhuma previsão de como o público receberá a trama, embora tenha um ponto em comum às já exibidas até agora e bem aceito pelo público - a mocinha que de alguma forma é forçada a se casar com um rapaz.

Publicidade

O que se sabe é que a Band também sofre com a crise econômica no Brasil e diante disso tem negociado com o grupo americano Turner, responsável por canais conhecidos da TV paga como TBS, TNT e CNN, a venda de algumas ações da emissora tupiniquim - até no máximo 30%, segundo a legislação brasileira. Com as negociações avançadas, a qualquer momento a Band pode fechar negócio com a Turner.

Se já há especulações de que a Band deixe de comprar as novelas turcas para investir nas novelas chilenas que a Turner produz para o canal Chilevision, a falta de confiança nas tramas importadas da Turquia diante da baixa audiência nos outros países e a troca de "Ezel" por um título mais "água com açúcar" reforça que a Band teme a perda de público e pode abandonar de vez as turcas e investir em novos produtos afim de manter o seu público e até conquistar mais audiência. #Entretenimento #Televisão