As emissoras divulgaram nessa semana que o primeiro trimestre de 2016 será um momento de muitas demissões de seus funcionários. De acordo com o Portal UOL, haverá uma média de 6% a 12% de demissões de funcionários e redução de investimentos nas estruturas dos programas. Algumas emissoras até, pretendem prolongar a duração de suas novelas para que não gastem ainda mais com a abertura de outras.

Os executivos das TVs abertas do Brasil dizem que a crise econômica e política que o país esta enfrentando não afetou tanto a estrutura financeira das emissoras em 2015, no entanto, será inevitável resistir a isso em 2016, e a tônica desse ano logo no primeiro trimestre será o ‘corte de custos’, ou simplesmente, as demissões de funcionários.

Publicidade
Publicidade

Boa parte dos anunciantes que se mantiveram investindo nas TVs abertas durante 2015 não conseguiram obter muito lucro. Dessa forma, em 2016, reduzirão o investimento significativamente.

GLOBO

A emissora ainda possui muitos contratos de longo prazo, e isso será diminuído em 2016. De acordo com o Colunista Ricardo Feltrin, a #Rede Globo passará a não investir mais em contratos de longo prazo. A tônica da emissora no quesito contratação será desenvolvida através de “contratos de obra”, aqueles que são feitos para determinada tarefa e se encerra com o término da mesma. A emissora ainda possui muitos artistas famosos, ao ponto de fazerem somente um ou dois trabalhos ao ano, (eles são conhecidos por medalhões intocáveis), esses também serão afetados pela restruturação financeira da emissora.

BAND

O primeiro “baque” da emissora foi o fim de um dos seus principais programas, (o CQC), que não mais será transmitido em 2016. Após isso, a TV ainda tem outro grande problema, as dívidas em dólar.

Publicidade

Essa dificuldade pode tirar da band o canal UHF (21), e ainda sofre a ameaça de uma possível ‘venda’ da emissora para a Igreja Universal, (que inclusive já tinha alugado o canal 21). Fora isso, as demissões do início de ano já é algo certo.

RECORD

A emissora foi a primeira da lista a reduzir gastos e a demitir dezenas de funcionários, fez isso já no fim do segundo semestre de 2015. Outro fato bastante impactante para a Record foi a sua transferência de estúdio, (saiu dos estúdios RecNov, do Rio de Janeiro, e foi para a produtora Casablanca). Muitos funcionários da emissora foram juntos com a transferência, mas muitos outros, simplesmente foram demitidos.

#SBT

A TV de Silvio Santos já deixou bem claro que não irá investir mais como investiu nas novelas em 2015. De acordo com a emissora, o pensamento é fazer com que novelas como “Cumplices de um Resgate” sejam prolongadas, demorem mais, para que sejam evitados gastos futuros com mais novelas. A emissora também diz que não vai dar para segurar os mesmos gastos que teve em 2015, isso significa em mais demissões já no início de 2016.

Publicidade

De todas as emissoras abertas, a única que não fará muitas mudanças é a RedeTV! Por já esta em uma estrutura ‘pequena’ e não gastar muito com os seus funcionários, a TV diz que serão poucas as transformações para 2016. #Rede Record