Parece que o apresentador Luciano Huck não engoliu a determinação da Justiça, nesta tarde de quarta-feira, que prevê o bloqueio do Whatsapp a partir de meia-noite de quinta-feira. Em seu Facebook, Huck desabafou: "Tanta m... acontecendo no Brasil...e ainda querem atrapalhar nosso dia a dia. Para que esta medida? Eu hein!? Bom, amanhã só sms, email, fax, sinal de fumaça....".

A grande maioria dos seguidores concordaram com o apresentador. "Tanto bandido na rua e os juízes estão preocupados com #WhatsApp (sic). Eu trabalho com este app, não uso só para diversão não, bando de gente à toa. Com tanto assassinos sem julgamentos e eles gastando nosso dinheiro com app que fez melhorias no nosso dia a dia", disse Suzanne Ramos.

Publicidade
Publicidade

Outra seguidora tentou minimizar a preocupação de Luciano Huck. "Gente pelo amor de Deus, são só 2 dias sem Whats App, vcs não vão morrer não, tem tantas opções pra se comunicar ainda, não existe só o Whats, é só avisar os seus clientes, amigos e familiares, que como certeza eles, se precisarem, vão entrar em contato com você de outra forma", comentou Phâmela Roberta Feijó de Almeida.

A paralisação não poderá ocorrer. De acordo com o site da Folha de S.Paulo, devido às dificuldades técnicas do bloqueio e ao impacto que ele causará no serviço das operadoras, a Oi decidiu entrar com pedido de recurso. Se o pedido sair até a meia-noite desta quarta, o bloqueio não será efetivado pela operadora.

Entenda

Na tarde de quarta-feira, segundo a Folha, a Justiça mandou as operadoras de telefonia fixa e móvel bloquearem o serviço de mensagens instantâneas WhatsApp em todo o país por 48 horas, a partir de 0h desta quinta (17). Embora travem uma disputa com o aplicativo há meses, as teles receberam a determinação judicial com surpresa.

Publicidade

Até as 22h, o Sinditelebrasil, associação que representa o setor, informou que as operadoras tentariam cumprir a decisão no prazo definido.

Já o site do Tribunal de Justiça de São Paulo disse que decisão foi proferida em um procedimento criminal, que corre em segredo de justiça. Isso porque o WhatsApp não atendeu a uma determinação judicial de 23 de julho de 2015. Em 7 de agosto de 2015, a empresa foi novamente notificada, sendo fixada multa em caso de não cumprimento. A afirmação do TJ-SP, a princípio, não coloca a responsabilidade de um suposto bloqueio na conta das operadoras de telefonia. #Comunicação #Celular