Nos últimos anos a emissora Bandeirantes - mais conhecida como Band - vem vivenciando uma grande crise. Muitos profissionais já foram demitidos e diversos programas saíram do ar. A última grande contratação da Band foi Luiz Bacci. Contudo, por não conseguir pagar o gordo salário do apresentador, e mais as despesas com o programa, a emissora cancelou o mesmo e rompeu o contrato amigavelmente com o jornalista.

Recentemente a emissora cancelou mais alguns programas, colocando no lugar outros produtos, mais baratos e menos valorizados pelo mercado publicitário. Com o país em crise, a programação da emissora para 2016 não terá novidades; apenas o que deu certo em 2015 continuará no ar, no novo ano. 

O fato é que, com poucos programas de sucesso e muitas dívidas contraídas ao longo dos anos com funcionários e produtoras, a emissora da família Saad está falindo.

Publicidade
Publicidade

Não existe dinheiro no caixa da emissora para apostar em nada em 2016. Segundo a imprensa especializada, a emissora pode, inclusive, pegar um empréstimo milionário para sanar as dívidas com seus credores. Outra hipótese seria a venda de parte da emissora para o grupo Turner.

A péssima gestão na emissora e os diversos programas fracassados, são vistos internamente com os principais motivos para essa crise. Para piorar, um dos seus principais programas está em crise na audiência, o Pânico na Band. Desgastado com o tempo o programa vem perdendo há algum tempo a quarta colocação para o genérico Encrenca da RedeTV!.

Atento a tudo isso, o mercado publicitário investe menos na emissora, já que poucos programas da Band são sucesso de fato. E mesmo tentando se livrar da programação religiosa, a Band dificilmente fará isso, já que grande parte do seu faturamento vem dos horários alugados para as igrejas.

Publicidade

O problema é que, mesmo a Band não tendo despesas com esses programas, eles prejudicam a audiência da emissora na média geral, pois afugentam o telespectador.

O fato é que a Band terá que se movimentar bastante, agora em 2016, para evitar mais dívidas e fechar o ano no azul. #Negócios #Televisão