O cantor Dado Villa-Lobos, ao lado do amigo Marcelo Bonfá, vêm travando na #Justiça uma longa batalha pelo direito de poder usar o nome 'Legião Urbana' em sua nova turnê. Eles estão na estrada com o show que no Rio de Janeiro aconteceu dia 23.

Dado e Marcelo já se apresentaram em vinte cidades brasileiras com o show 'Legião Urbana XXX' e, finalmente, desembarcaram no Rio onde comemoram o primeiro lançamento do álbum da banda.

A disputa durou quinze anos, onde o nome Legião Urbana permaneceu todo esse tempo com a família do cantor Renato Russo, mas segundo palavras de Dado: "A justiça tarda, mas não falha e os deuses parece que deram uma ajudinha para que pudéssemos usar o nome da banda'.

Publicidade
Publicidade

Um dos maiores sucessos do grupo, 'Que país é esse?', continua sendo um dos mais aclamados pelos fãs e não pode faltar em nenhum show. A #Música, que foi gravada em 1989, continua sendo manchete.

O músico confessa que costuma sentir a presença do cantor que faleceu em 1996, vitima da AIDS, em suas apresentações.

"Renato é uma presença mágica na nossa musica e nós incorporamos isso", disse Dado. Ele informou ainda que a banda terá pouco tempo e logo após a turnê, que permanece só até o final do ano, o grupo deve se desfazer.

"Nós combinamos isso desde o 5º LP, caso alguém saísse, não seguiríamos com a banda Legião". Na ocasião, o vocalista já estava doente.

Em uma entrevista concedida à 'Época, Coluna do Bruno Astuto', o músico fala de como é bom depois de quinze anos voltar a usar o nome Legião e ver o público enlouquecer com as músicas.

Publicidade

Dado divide os vocais do show com Marcelo Bonfá e André Frateschi, na comemoração do primeiro disco do grupo. Eles tocam, relembram e festejam junto ao público, que sempre quer mais e delira ao ver um verdadeiro show de 'Rock in roll'.

Ainda muito muito emocionado, Dado falou de outra morte, de David Bowie. Ele se diz ainda chocado, pois na véspera tinha ouvido seu novo álbum, 'Blackstar', ao lado dos amigos. E no dia seguinte a noticia da morte de seu ídolo.

"O cara era fabuloso, em todos os sentidos, vai fazer muita falta", lamentou-se Dado. #Famosos