David Bowie morreu, com 69 anos de idade, após batalhar contra o câncer durante 18 meses. A morte do icônico cantor britânico foi confirmada em sua própria página oficial do Facebook, e também do Twitter. Seu falecimento aconteceu apenas dois dias após ele lançar o seu mais novo álbum.

O seu Twitter oficial postou a mensagem: "David Bower morreu em paz hoje, rodeado de sua família, após corajosa batalha de 18 meses contra o câncer".

Já no Facebook, a mensagem, mais longa, dizia: "David Bowie morreu em paz com todos seus familiares ao seu redor após uma batalha corajosa de 18 meses contra o câncer. Enquanto muitos de vocês irão compartilhar essa perda, nós pedimos que vocês respeitem a privacidade da família durante seu momento de luto".

Publicidade
Publicidade

Confira abaixo a mensagem original postada na página oficial do Facebook do cantor:

Duncan Jones, filho do cantor, também falou em seu Twitter: "Sinto muito e muito triste de dizer que é verdade. Vou ficar fora da internet por um tempo. Amor para todos" E compartilhou uma foto de quando era bebê, ao lado de seu falecido pai. Confira abaixo o tweet e imagem postada pelo filho de Bowie:

A notícia da morte do cantor veio de surpresa e seu nome em poucos minutos se tornou o mais comentado do Twitter, com fãs lamentando a perda.

Relembre trajetória do artista

David Bowie era um cantor e compositor influente no mundo da #Música há décadas, com mais de 40 anos de carreira.

Publicidade

Seu 25º álbum, "Blackstar", foi lançado dia 8 de janeiro, dia de seu aniversário.

Ele ganhou a crítica e o público em 1972, com o álbum "The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders From Mars". Apenas três anos depois, ele conseguiu um grande sucesso em território americano e atingiu o primeiro lugar das paradas com o single "Fame".

Não faltam músicas marcantes na carreira de David Bowie, e isso inclui "Under Pressure", "Changes", "Space Oddity" e "Heroes", por exemplo.

David Bowie nasceu como David Jones em 8 de janeiro de 1947 em Londres. Ele mudou seu sobrenome para Bowie em 1966.