Kate Winslet é uma das grandes razões para assistir ao filme "Steve Jobs", dirigido por Danny Boyle, o mesmo de "Quem Quer Ser Um Milionário". O longa-metram, que estreia dia 28 de janeiro, não é uma simples biografia do fundador da Apple, mas uma interpretação de sua personalidade e trajetória, difere de "Jobs", de 2013, ainda, pelo ótimo roteiro assinado por Aaron Sorkin, de "A Rede Social", e pelo elenco de primeira.

Aos 40 anos, a inglesa Kate Winslet, premiada com o Oscar por "O Leitor", de 2008, e neste ano com um Globo de Ouro por Melhor Atriz Coadjuvante em "Steve Jobs", dá um show como a executiva de marketing Joanna Hoffman, braço-direito de Jobs, interpretado pelo ator Michael Fassbender.

Publicidade
Publicidade

A personagem (real) fez parte da primeira equipe de desenvolvimento da Macintosh, nos anos 1980. 

Em entrevista à edição de janeiro da revista CLAUDIA, Kate reproduziu alguns diálogos imitando a maneira de falar de Joanna e deu muitas gargalhadas. A publicação perguntou à atriz sobre o que ela achava de Steve Jobs: "Minha percepção dele é muito moldada na Joanna. Ele me parece ter sido um homem difícil e brilhante. mas com habilidade par ser muito caloroso. Foi um bom amigo e extremamente leal. Ela o adorava", respondeu prontamente.

Kate comentou sobre o que a verdadeira Joanna achou do filme. "Ele [o filme] nunca foi pensado para ser realista. Não tivemos a pretensão de dizer que foi assim que aconteceu. Aaron Sorkin, o roteirista, não queria fazer uma cinebiografia. Para ele, o filme é uma pintura, não uma fotografia", explicou.

Publicidade

Joanna era uma das poucas que não tinham medo de confrontar Steve Jobs. Ao ser questionada sobre esse confronto, Winslet respondeu que sim. "Tenho dificuldade de levar a sério pessoas que provocam medo nas outras. Se uma figura masculina está lidando mal com a frustração, viro e pergunto: 'Você está menstruado?' Ele bufa e pronto. Essa autoconfiança vem com o tempo, com a experiência. O bom de envelhecer é não precisar se preocupar com o que os pensam (risos)".

A atriz britânica também falou para a revista CLAUDIA que não tem medo do fracasso. "Nunca penso que vou fracassar. Sempre tento fazer meu melhor, sem medo de falhar. Também não penso em ser a número 1. Recentemente, minha filha estava querendo uma nota específica na escola e tirou uma muito boa, mas não ficou satisfeita e começou a se comparar com outras crianças. Tive que conversar com ela e mostrar que o importante é fazer com prazer e sentir que se esforçou ao máximo. Acredito realmente nisso".

Assista ao trailer de "Steve Jobs"

#Entretenimento #Famosos #Cinema