Não é de hoje que demissões em massa fazem parte da rotina de grandes emissoras de #Televisão, redações de jornal e revista e também rádios. Com o crescimento da internet e a redução do valor da publicidade nestes veículos, muitas empresas tentam combater a queda do lucro estão mandando para casa grandes profissionais de longa data. Contudo, ao mesmo tempo em que ocorre isto, a TV Globo, por exemplo, ainda mantém apresentadores e jornalistas recebendo salários que podem chegar a R$ 1 milhão mensais, além dos lucros advindos dos anúncios publicitários. Após Xuxa Meneghel ser mandada embora da TV Globo, o assunto sobre demissão e redução dos super-salários virou rotina nos corredores do canal carioca.

Publicidade
Publicidade

Segundo o site Notícias da TV do jornalista Daniel Castro, a Globo atualmente está negociando reajustes salariais para seus funcionários, com valor inferior à inflação. Os profissionais que ganhavam super-salários terão que aceitar um reajuste de 5%, o que representa um valor inferior à inflação dos últimos 12 meses, que está na casa dos 12%. A emissora alega que, se reduzir os aumentos salariais acima ou igual à inflação, irá evitar demissões de mais funcionários. Assim, os próprios apresentadores irão ajudar a manter a equipe de câmera, som, produtores e jornalistas que ajudam a manter os programas no ar.

De acordo com o site, este tipo de política de evitar benefícios equivale a um corte de salários. Por exemplo: quem recebe R$ 100 mil por mês vai deixar de ganhar mais 5% em cima desse valor, abaixando os vencimentos em R$ 5 mil todo mês.

Publicidade

Calculado em um ano, equivale a R$ 60 mil que não estarão na conta do apresentador. Como alguns funcionários recebem R$1 milhão por mês, como é o caso do locutor Galvão Bueno, a emissora deixa de pagar R$ 600 mil por ano. Ana Maria Braga e Luciano Huck também recebem este valor. Estes comunicadores são contratados como pessoas jurídicas.

Já os profissionais que recebem como pessoa física não estão nada contentes com as negociações da Globo com o Sindicato dos Jornalistas. Isso porque a categoria pede um reajuste de, pelo menos, 11%. A emissora concordou em pagar 6% em fevereiro, mas deu para trás e agora apresenta 5% de aumento anual em decorrência da inflação.

Demissões em massa

Uma das justificativas da organização é que o mercado publicitário passa por um mau momento e as televisões receberam 8,5% a menos na relação de lucro. A Globo, porém, não saiu em tanta desvantagem, pois teve queda de 7%. Por conta da crise, a Record, SBT e Band fizeram centenas de demissões até o momento e também acharam necessário tirar atrações da grade de programação. #Famosos #Rede Globo