Fantine Thó sem dúvidas é uma das personalidades mais conhecidas no Brasil. Quem não lembra da cantora quando integrava o grupo Rouge? Após o fim do grupo em 2004, ela decidiu sair do país e morar na Holanda, onde vive atualmente.

Fantine seguiu sua carreira musical com diversas composições próprias e encontrou sua identidade musical, além disso a cantora participou como candidata do "The Voice Holanda" e surpreendeu todos os brasileiros com sua participação.

Realizamos uma entrevista com a cantora para saber mais sobre suas prioridades no momento, confira!

Fantine, você se mudou do Brasil e foi morar na Holanda, qual é sua atual proposta musical?

"Estou aqui há nove anos.

Publicidade
Publicidade

Tenho feito temporadas de trabalho no Brasil. Tudo despido de produção artística, quem faz meu trabalho girar são as pessoas ao meu redor com a criatividade e carinho delas. Essa proximidade tem sido grande fonte de inspiração para minhas novas composições. Um dos encontros mais mágicos foi o do Rubber Tracks, projeto da Converse realizado no Family Mob Studios de Jean Dolabella e Estevam Romera. Cheguei pra gravar voz e violão e acabei gravando com os tesouros do estúdio porque curtiram a composição e coincidentemente estavam "em casa". Sorteei alguns fãs pra registrar o momento e passarmos a tarde juntos no estúdio."

Aqui está o resultado:

"O período na Europa está sendo enriquecedor. Estou crescendo e aprendendo muito por aqui. O país é organizado, seguro, as condições de vida são justas e a arte é altamente inspiradora.

Publicidade

Foi aqui que me inspirei no conceito "Living Room Concerts", vendo vários artistas que admiro em casa de amigos. É uma experiência única poder ver o ídolo que vem visitar casas totalmente "low profile", saindo lá da Austrália, EUA ou Reino Unido, pra tocar tão pertinho num formato pessoal. O fã tem chance de ser visto, interagir e ser conhecido pela pessoa que admira. Isso foi o que mais me encantou no conceito. Humano. Tem que ter coragem pra fazer. É desse tipo de aventura que gosto e por isso estou fazendo. 

O retrato musical também criei aqui na Holanda. Uma sessão privada ou em público, dependendo do que a pessoa prefere, na qual faço uma canção pra ela, sobre ela na hora. Estou no meu segundo ano de leitura biológica pra poder fazer esse trabalho de forma responsável, real e transformadora pra pessoa "retratada". Acabo de retornar da segunda turnê de 3 semanas. 9 shows e 48 retratos nos lugares mais lindos desse país. Encantador e inesquecível. Sou muito grata por todos os presentes que tenho recebido."

Como foi participar do The Voice Holanda? Você sabia que muitos brasileiros assistiram sua apresentação?

"O Voice foi muito bacana.

Publicidade

A reação do Brasil me surpreendeu. Quando vi que estavam assistindo fui correndo fazer versões em português de canções de Rihanna e Pharell Williams. O Voice foi minha primeira grande plataforma como indivíduo, abriu e continua abrindo portas. Valeu a pena!"

Os fãs criam sempre uma grande expectativa em torno do grupo Rouge. Existe a possibilidade de voltar?

"Quanto ao Rouge, prefiro falar sobre o grupo quando estiver junto com minhas amigas. Mas basicamente, nosso trabalho fala por nós e neles estão as respostas pra todas as perguntas.

Só tenho os fãs pra agradecer por ter mantido nossa chama acesa e essas meninas maravilhosas que cada dia que passa amo mais. Nossa amizade e trabalho tá mais prazeroso e gratificante que nunca." #Entretenimento #Famosos #Música