Monica Iozzi continua gerando polêmica nas redes sociais ao comentar sobre política e apesar das críticas ela não se intimida e está sempre postando algo em relação ao atual cenário em que se encontra o Brasil, mergulhado na crise e em constantes escândalos.

Na noite desta sexta-feira (25), a ex-CQC postou uma mensagem em sua conta no Twitter dizendo que o PMDB é o câncer político do Brasil e logo surgiram diversos comentários e como sempre acontece quando o assunto é "política", as opiniões se divergiam bastante.

Iozzi publicou a mensagem se referindo a um novo escândalo, a respeito de uma mensagem onde Eduardo Cunha cita o repasse de R$ 5 milhões a #Michel Temer, vice presidente da República que irá assumir a presidência no Brasil no caso de Dilma Rousseff ter de deixar o cargo por causa de um impeachment.

Publicidade
Publicidade

Rodrigo Janot, procurador geral da República, conseguiu reunir uma série de indícios provando que Michel Temer, do PMDB, recebeu R$ 5 milhões da OAS, vindo das mãos do dono da empresa, José Adelmário Pinheiro que foi condenado nas investigações da Petrobras.

A notícia de que Michel Temer teria recebido este pagamento encontra-se em uma das manifestações de Teori Zavasck, ministro do Supremo Tribunal Federal. Em troca de mensagens entre #Eduardo Cunha, do PMDB e Léo Pinheiro, o deputado que é líder da Câmara reclama que o empresário chegou a fazer o pagamento a Temer, porém não fez o repasse a vários outros líderes de seu partido.

A reprodução que consta no documento assinado pelo ministro do STF, Teori Zavascki, diz o seguinte: "Eduardo Cunha cobrou Leo Pinheiro por ter pago, de uma vez, para Michel Temer a quantia de R$ 5 milhões, tendo adiado os compromissos com a turma".

Publicidade

As mensagens foram trocadas através do aplicativo "WhatsApp" e o empreiteiro fez questão de pedir a Eduardo Cunha que tomasse mais cuidado com a análise, evitando assim que os "amigos" vissem a quantidade de pagamentos.

O celular do dono da OAS foi apreendido em 2014 e todas estas conversas ainda estavam armazenadas no aplicativo. Michel Temer se defendeu apresentando doações que a OAS fez ao PMDB e que todas elas teriam sido declaradas à Justiça Eleitoral e que o valor era de R$ 5,2 milhões, entretanto, as trocas de mensagens entre o presidente da câmara e o dono da OAS, deixa claro que os R$ 5 milhões foram repassadas em uma única vez.

Esta não é a primeira vez que Monica Iozzi critica o PMDB e pelo visto, não será a última.

#Corrupção