A apresentadora e atriz Monica Iozzi mostrou-se irritada com o andamento dos protestos realizados em todo o Brasil. Neste domingo, 13, ela usou o Twitter para se posicionar contra às manifestações pedindo a saída da presidente Dilma Rousseff do poder. Ela usou o microblog de 140 caracteres para chamar esse momento de triste. A ex-comandante do 'Vídeo Show' foi além, chamou a mídia de tendenciosa e criticou até mesmo o principal telejornal da emissora em que ela é contratada, o 'Jornal Nacional': "Somos um povo que se informa apenas por manchetes do JN”. 

Monica ainda usou uma interjeição para comentar os protestos que levaram milhões de pessoas às ruas.

Publicidade
Publicidade

"Meu Deus", continuou a famosa, que disse que os brasileiros estão cegos e equivocados com o que acontece no território nacional. Iozzi depois disse que não estava apoiando o governo, mas que também não se via aliada aos partidos de oposição à Rousseff. A apresentadora reclamou ainda do noticiário, dizendo que não se sente muito bem informada com o que é noticiado pela imprensa e que ninguém a representa. "E agora, José?”, questionou a contratada da #Rede Globo dando a entender que não sabia para onde ir. 

Monica Iozzi deixou o 'Vídeo Show' no mês passado. Mesmo a contragosto da emissora e dos fãs, o programa passou a ser comandando por Otaviano Costo e Joaquim Lopez. Ela agora seguirá firme e forte na carreira de atriz e já está escalada para uma espécie de série de terror da emissora. Em 'Vade-Retro', Monica contracenará com um dos maiores atores da história da televisão brasileira, Tony Ramos. 

Se a atriz parecia perdida em relação a manifestação que tomou conda da maioria dos estados brasileiros, outros #Famosos foram mais claros ao demonstrarem suas opiniões.

Publicidade

José de Abreu, por exemplo, continua defendendo o Partido dos Trabalhadores, o PT, e a presidente da república Dilma Rousseff. Já Susana Vieira, Marcelo Serrado e outros artistas pediam a saída da política do poder em uma manifestação realizada em Copacabana, no Rio de Janeiro.  #Impeachment