Barack Obama está aproveitando os últimos meses de seu mandato como presidente da maior potência do mundo para apaziguar os ânimos diplomáticos com países da América Latina. Mas, além disso, o democrata não deixou o feriado de Páscoa passar em branco e organizou uma gigantesca festa nos jardins da Casa Branca, para recepcionar celebridades e milhares de convidados.

Claro que o destaque da festa ficou por conta da participação da cantora Beyoncé, ao lado de seu marido, o rapper Jay-Z, que posou ao lado do "Coelhinho da Páscoa", além de muitos membros VIP's, especialmente aliados do presidente norte-americano. Na edição de número 138 do evento, realizado no Gramado Sul do complexo da Casa Branca, mais de 35 mil pessoas prestigiaram a festa de Barack Obama, que declarou seu amor ao seu feriado predileto do calendário.

Publicidade
Publicidade

Ao lado de Michelle Obama, primeira-dama dos Estados Unidos, o presidente surgiu na sacada da Casa Branca e agradeceu pela presença de tantos convidados. "Vocês fizeram o sol sair, então ficamos muito agradecidos por isso", celebrou Obama com público presente. "Este sempre é um de nossos eventos favoritos no ano. É muito divertido", prosseguiu o mandatário dos #EUA, citando os voluntários e a banda dos Fuzileiros Navais - combatentes da elite do exército do país.

Posteriormente, Barack Obama curtiu um de seus esportes favoritos, ao acompanhar os astros da NBA se divertindo nas quadras disponíveis. Shaquille O'Neal, lendário jogador da Liga Profissional, especialmente defendendo as cores do Los Angeles Lakers, "puxou" a fila de atletas. Jogadores de tênis também celebraram o feriado organizado pela família Obama.

Publicidade

As eleições para a sucessão do atual presidente ocorrem no próximo dia 8 de novembro, com o republicano Donald Trump e a democrata Hillary Clinton como favoritos para a disputa do pleito.

Na última semana, o presidente norte-americano realizou visita histórica, ao pisar em solo cubano. Foi a primeira vez que o principal mandatário dos EUA viajou para o país caribenho, desde Calvin Coolidge, no longínquo ano de 1928. Em reuniões com Raúl Castro, atual presidente cubano, Obama acenou com a possibilidade de encerrar de vez com o embargo econômico sobre o país, que perdura por mais de cinco décadas. Posteriormente, ele passou pela Argentina, onde elogiou o desempenho do presidente Mauricio Macri, além de tratar de questões humanitárias, sobre a ditadura argentina, entre os anos de 1976 e 1983. #Entretenimento #Famosos