O clima não é dos melhores nos bastidores do 'Jornal Hoje', telejornal apresentado no período vespertino por Evaristo Costa e Sandra Annenberg na Rede Globo de Televisão. De acordo com informações do jornalista Daniel Castro em reportagem publicada nesta quarta-feira, 20, a cara de felicidade dos comandantes do 'JH' em nada mostra o quão pesado é o clima dos funcionários que fazem o noticioso entrar no ar de segunda a sábado. Nesta terça-feira, 19, por exemplo, uma reunião não terminou de forma amistosa. Pelo contrário, o editor-chefe do 'Jornal Hoje', Luiz Fernando Ávila, teria se estranhado com uma das editoras do programa. 

Ávila deixou o 'Jornal Nacional' há cerca de um ano e desde então tem recebido pressão de jornalistas do telejornal de Sandra e Evaristo, que não estariam contentes com as mudanças.

Publicidade
Publicidade

Eles seriam mais alinhados, de acordo com Daniel Castro, com a antiga editora-chefe, Tereza Garcia. A discussão acalorada entre Ávila e a editora foi vista por todo mundo que trabalhava na sede do jornalismo da Globo em São Paulo, pois a discussão aconteceu no meio da redação. A editora não gostou de ser chamada atenção na frente de outros colegas e não deixou a situação barata, indo prestar queixa aos superiores do editor-chefe. O clima não é dos melhores do noticioso depois do acontecimento.

Não é só o 'Jornal Hoje' que anda com problemas de estranhamentos entre funcionários. Recentemente, repórteres do 'Jornal da Record', exibido pela TV Record, teriam rolado pelo chão da redação, localizada no bairro da Barra Funda, São Paulo. A discussão e pancadaria dos dois só foi apartada pela turma do "deixa disso".

Publicidade

A emissora não confirma que houve essa briga, nem que haverá uma punição dos funcionários. O motivo para a briga dos dois jornalistas seria o editorial político do telejornal. Um deles seria adepto do governo, apoiando Dilma, o outro queria seu impeachment. Que coisa, não?

Ainda sobre a questão política, na tarde desta quarta, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu adiar o julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para uma data "oportuna". O tribunal julgaria o mérito da nomeação de Lula para o cargo de Ministro da Casa Civil por Dilma e se ele se usaria de tal status apenas para a obtenção de foro privilegiado.  #É Manchete! #Rede Globo