O apresentador William Bonner surpreendeu muitos telespectadores da #Rede Globo de Televisão, quando ainda pela manhã deste domingo, 17, apareceu dando 'Bom Dia'. Por volta das 8h30, o âncora do 'Jornal Nacional' abriu a cobertura sobre a votação do #Impeachment da presidente Dilma Rousseff. Uma vinheta especial foi criado para a data, que deve entrar para a história, não importando o resultado. Surpreendeu ainda o fato do marido da apresentadora Fátima Bernardes ter escolhido uma gravata azul para a data, contrariando uma suposta ordem da TV Globo, que teria proibido seus apresentadores de usarem cores que fossem ligadas aos movimentos políticos.

Publicidade
Publicidade

Com isso, teoricamente não poderiam ser usados vermelho, verde, amarelo e azul. O preto também só poderia ser usado com parcimônia. 

Apesar da suposta ordem não ter sido confirmada, a maioria dos repórteres homens escolheu ternos de cor clara e gravatas brancas, prata ou cinza. Poucos deles escolheram as mais tradicionais, de cor azul. Nossa reportagem não registrou nenhum profissional utilizando vermelho. Alexandre Garcia, por exemplo, escolheu cores cinzas para a cobertura política. Já Heraldo Pereira, que dividiu com ele nos comentários políticos, preferiu um terno azul marinho com gravata prata. Não só a Globo teria proibido algumas cores na sua transmissão, como também a Record, como reportou o jornalista Daniel Castro, do site 'Notícias da TV'. 

Chamou também a atenção o fato de William Bonner ter trabalhado na sexta, sábado e domingo.

Publicidade

Até então, o comunicador só trabalhava nesse dia quando existiam eleições nacionais. Outro ponto curioso foi ver e ouvir o jornalista dando 'Bom Dia'. Nas redes sociais, o nome do principal jornalista da Globo ficou entre os temas mais comentados do Twitter. O fato dele escolher uma gravata azul e parecer estar feliz ao trabalhar fez com que o comunicador fosse acusado de apoiar o impeachment. 

A mesma acusação é feita por manifestantes contra o impedimento à Rede Globo, que segundo eles, apoiou a ditadura e agora apoia o 'Golpe' no Brasil.