Na noite deste sábado, 09, o 'Zorra' estreou uma nova temporada na Globo. Com uma pegada mais polêmica, a atração decidiu investir em esquetes e piadas sobre política, crise econômica e até religião. O programa literalmente desdenhou do ex-presidente da república Luiz Inácio Lula da Silva. Em uma esquete, por exemplo, ficou impossível não associar um bandido à figura de #Lula. O cardápio político fez muita gente rir, é claro, mas também provocou muita polêmica. A parte positiva é que assunto não vai faltar nas próximas semanas, quando o clima na política nacional deve se acirrar ainda mais. 

Na esquete mais polêmica da noite, um bandido mantém com ele uma refém, mas é surpreendido pela polícia.

Publicidade
Publicidade

Ele então exige que um advogado chegue ao local. Temendo pela segurança da mulher, o policial que comanda a operação deixa que o criminoso tenha essa regalia. Em seguida, o sequestrador não satisfeito diz que só libertará sua vítima se a imprensa aparecer no local. Prontamente os jornalistas são chamados e transmitem toda a confusão em tempo real. Mas o bandido ainda não estava feliz em ter tantas regalias do policial. 

O criminoso então pede um Ministério, dizendo que não é otário e que com Ministério nada vai acontecer para ele. Recentemente, o Ministério Público de São Paulo, que investiga a suposta compra de um tríplex no Guarujá por Lula pediu a prisão preventiva do ex-presidente. No mesmo momento, ele era investigado pelo juiz Federal Sérgio Moro, que comanda a Lava Jato. Pouco tempo depois do pedido de prisão, o ex-presidente teve diversas reuniões com #Dilma Rousseff.

Publicidade

A presidente então decidiu dar a ele o cargo de Ministro da Casa Civil. Dessa forma, o líder do partido dos trabalhadores passaria a ter a investigação sobre ele a cargo do Supremo Tribunal Federal (STF) e não de Sérgio Moro. A posse de Lula, no entanto, não demorou nem uma hora. Por decisão judicial, ele continua fora do Ministério até agora. 

Em outro quadro, o 'Zorra' diz que a presidente caiu, que o vice, o presidente do Senado e da Câmara também. Como o Ministro do Supremo estaria doente, só sobraria 'Zé' para governar o país. A piada, como podemos perceber, envolveu o #Impeachment de Dilma.