Protagonista de "Velho Chico", novela das 21h da #Rede Globo de #Televisão, Camila Pitanga deu uma entrevista contestadora à revista Marie Claire, publicada na versão eletrônica do veículo nesta quinta-feira, feriado de Corpus Christi.

Enquanto aguardava uma sessão de fotos, a intérprete de Tereza e capa da revista no mês de julho teceu a sua opinião sobre vários assuntos. O de maior relevância foi a questão dos salários pagos aos artistas. Para ela, não existe razão palpável que justifique o fato de os homens receberem mais.

"É machismo. Faz parte da nossa sociedade ainda presa a padrões que a gente precisa avançar", declarou a filha de Antônio Pitanga, também ator e ex-vice-governador do Rio, lembrando,inclusive, que o hábito masculino de "pagar uma conta no primeiro encontro" ser uma convenção ultrapassada. 

Outro questão teve um cunho político.

Publicidade
Publicidade

Mãe de Antônia há oito anos, Camila falou sobre a licença-maternidade de seis meses. Para a atriz, quando se tem a consciência de ser um período especial, onde começa haver uma formação de identidade, de segurança, é fundamental, para a criança, ter a presença física tanto do pai quanto da mãe por, no mínimo, um ano.

O último ponto abordado na entrevista teve, como ponto principal, a família contemporânea. De acordo com Camila Pitanga, afeto é um sentimento independente de laço sanguíneo. O importante é ter um vínculo, uma afetividade.

"Eu tenho a sorte de ter amor de família, amor de amigos, amor de amor de homem e mulher", complementou.

Com 38 anos, Camila Pitanga nasceu no Rio de Janeiro e iniciou a sua carreira ainda na infância. Em 1984, foi figurante do filme "Quilombo", de Cacá Diegues.

Publicidade

Aos 11 anos, tornou-se assistente de palco do programa "Clube da Criança", apresentado, na ocasião,por Angélica na extinta Rede Manchete. Seu primeiro papel na Globo veio nove anos depois, na minissérie Sex Appeal, de Antônio Calmon, mas só virou protagonista em 2000, quando interpretou a exuberante índia Catarina Paraguaçu, na microssérie "A Invenção do Brasil". Dois anos depois, fez "Mulheres Apaixonadas" como a médica Luciana, par romântico de Diogo, personagem feito por Rodrigo Santoro.

Em 2007, viveu o seu papel mais marcante na televisão com a novela "Paraíso Tropical", ao viver Bebel, prostituta que ganhou a preferência popular. Nesta obra, tinha um relacionamento amoroso com o vilão Olavo,interpretado por Wagner Moura. Antes de "Velho Chico", trabalhou em Babilônia como a protagonista Regina. #Famosos